Notícia
ESPORTES
16/04/2019 - 07 hrs
 
Associação de árbitros lança nota sobre briga no interior
 
A Associação de árbitros de Concórdia (ADAC) lançou nota na noite desta segunda-feira (16) nota oficial repudiando as agressões ocorridas no último sábado, durante partida semifinal da Copa Alexsports, entre Alto Boa Esperança e Kennedy. Aos 43 minutos do segundo tempo um desentendimento entre dois atletas, dentro de campo, gerou confusão também fora das quatro linhas. O árbitro Ariel Rizzo também emitiu uma nota de repúdio em relação aos fatos (Nota também a seguir)

A partir daí cenas que foram feitas por pessoas que acompanhavam a partida, mostram pancadaria dentro e fora de campo. Quando a confusão no campo havia cessado, o árbitro Osvaldir Moretto expulsou um atleta de cada equipe, que iniciaram a briga. O zagueiro de Kennedy, pelo que mostra as imagens, tentou agredir Moretto, mas foi contido pelos companheiros. 

Fora de campo, pessoas que assistiam o jogo se provocaram e houve agressão, com a participação de alguns atletas. 

As comissões de arbitragem farão avaliações sobre os problemas ocorridos. Não se descarta um encontro entre todos os árbitros para a cobrança dos organizadores de competições para que os atletas envolvidos em brigas sejam severamente punidos, sob pena dos profissionais deixarem de arbitrar partidas enquanto isso não acontecer.



Nota oficial - Associação de Árbitros de Concórdia [ADAC]

A Associação de Árbitros de Concórdia vem a público expressar seu repúdio aos atos ocorridos no último sábado, dia 13, na partida entre Alto Boa Esperança e Presidente Kennedy, válido pela semifinal da Copa Alexsports.

É inadmissível que ainda tenhamos essas atitudes em campeonatos organizados para integração entre comunidades e atletas. As covardes agressões sofridas pelo árbitro da partida, sejam elas físicas ou verbais serão devidamente punidas.

As cenas de pancadaria entre atletas também já ensejaram a instauração de processo disciplinar para identificação e punição, com o devido rigor, dos envolvidos. De igual maneira, os infelizes comentários feitos por alguns atletas no “facebook”, também serão investigados e posteriormente
punidos, conforme a legislação vigente.

A entidade reitera seu posicionamento ao longo da história, no intuito de zelar pela disciplina e pelo jogo limpo. O futebol é muito maior que alguns, o futebol continuará sendo nossa paixão.

Equipe ADAC.


Nota de repúdio

Por: Ariel Ângelo Rizzo Stédie

Muito difícil para quem gosta de futebol, ter de escrever sobre os lamentáveis fatos ocorridos no último final de semana na comunidade de Alto Boa Esperança. A selvageria que meia dúzia de idiotas cometeu dentro de um campo de futebol, frustra qualquer organizador, deixa perplexo qualquer atleta e desanima qualquer torcedor.

O esporte mais praticado no mundo, o futebol, teve mais uma marca de sangue nas suas páginas, aliás, algo que virou rotina no futebol do interior de Concórdia. Em um flash rápido da memória, em quatro meses do ano, foram três fatos ocorridos contra a arbitragem, sem contar as inúmeras vezes que ocorreram entre atletas.

A pergunta que fica no momento é: quantos mais casos vão ocorrer até o final do ano? Se alguém souber nos avise.

Mas nos atendo aos fatos ocorridos no último sábado, dia 13, temos de ter cuidado com as conclusões precipitadas. Ao acontecer uma confusão entre dois atletas, em uma semifinal de campeonato, o árbitro não vê saída, que se não tomar a atitude mais drástica no futebol: aplicar o cartão vermelho. Sejamos sinceros, se fizermos uma pesquisa rapida, 99% dos árbitros dirão que preferem trabalhar em um jogo sem aplicar este sanção disciplinar.

Ocorre que o cartão vermelho, é válvula de escape para libertarem os demônios enrustidos nos atletas. Em outras palavras, o cartão vermelho tira o Ser Humano de seu estado racional para o irracional. Na verdade acredito que apenas revela verdadeira face do “homem”.

Quem ler este texto sem assistir um dos inúmeros vídeos que estão circulando pelo WhatsApp talvez não entenda muito do que estamos falando, peço que assistam, talvez eu nem precisasse explicar dessa maneira. O que vemos nos vídeos é ódio, o que escutamos da torcida é raiva, e o que vemos dos atletas? Seu normal estado de espírito dentro de um campo de futebol.
Agora fica a pergunta: Até quando vamos culpar a arbitragem por nossos fracassos pessoais?

Do Facebook “Alto Boa Esperança F.C.” retiro a seguinte citação: “[...] Também, deixamos nosso pesar, pois é lamentável a arbitragem feita pelo árbitro, que não sera citado aqui, onde cometeu erros graves para ambos os lados e influenciou de certa forma na confusão”

Me poupem das piadas, me poupem da ignorância, me poupem da falta de hombridade. Ao menos sejamos homens o suficiente para assumirmos os nossos erros e a nossa culpa. Não somos perfeitos, e aos olhos dos atletas e torcedores, o árbitro “rouba” mais que político em Brasília, mas influenciar na confusão??? Só pode ser piada, como disse no início do parágrafo. Afinal, o mais prejudicado sempre é o árbitro.

Quero parabenizar os amantes do esporte, em especial aos jornalistas que estão dando a devida repercussão dos fatos ocorridos. Diferente do que os futuros atletas do UFC pensam, a única coisa que eles vão conseguir ganhar é uma péssima fama, além de uma punição pesada.

Falando em punição, está mais do que na hora de mudarmos o nosso modo de pensar, acredito que mais do que nunca necessitamos de uma lei municipal, no intuito de vincular todos os campeonatos, sejam eles organizados pela entidade “A”, “B” ou “C”, para que uma comissão una possa aplicar todas as punições, só assim, quando estes não puderem mais jogar, vão entender o valor do esporte.
Deixo aqui breves comentários, em especifico para:
As crianças que estavam assistindo a partida: minhas condolências. O que vocês viram, não foi, e nunca será, a essência do esporte. Aos organizadores de eventos desportivos: os meus parabéns pela coragem, e o meu desejo de forças, para não perdermos o foco e que não nos desviemos do caminho.

Aos árbitros: Eles são muitos, mas não maioria. Sejamos fortes e unidos. Somos parte importante do esporte, seguimos firmes.

Aos atletas: Até quando?


 
Impresso em: 19/08/2019 às 19:45

Rádio Rural AM 840