Rádio Rural AM 840

COLUNA DO LUÍS LONGHINI

Luis Longhini


Por onde anda Robson Fassbinder, garoto que fez fama no mundo da moda? Confira!

Por Luís Longhini
Entrevista
06/09/2019 às 09h10

CONCÓRDIA – Um talento descoberto em uma viagem nos anos 2000. De Concórdia Robson Fassbinder ganhou prestígio, notoriedade, dinheiro e ganhou as passarelas do mundo da moda.

O jovem prodígio deixou sua adolescência de lado e embarcou rumo ao desconhecido. Sem saber se quer uma palavra em inglês, Robson foi com a cara e a coragem, viajou e morou em diversos países e em muito pouco tempo o garoto de Concórdia conseguiu o impossível, ganhou destaque no mundo da moda e as capas das principais revistas e jornais do mundo.

Foram 10 anos de dedicação, foi uma década de muitas conquistas muito bem aproveitada. Hoje, de volta à Concórdia Robson conversou com Luís Longhini e conta um pouco mais do passado e também fala do presente.

Casado e com um filho, o jovem tem muitos sonhos pela frente. Confira essa entrevista sensacional de Robson, um vencedor!

Luís Longhini: Robson, como foi a sua ascensão no mundo da moda?

Robson Fasbinder:
Tudo começou em uma viagem ao litoral catarinense onde um caça talentos me viu e fez a intermediação com agências de São Paulo.

Logo nos próximos meses fui convidado a ir até lá para me verem pessoalmente e fechar contrato. Já nas semanas seguintes começaram os trabalhos, comecei com desfiles em eventos menores para pegar experiência mas na sequência já participei do São Paulo Fashion Week onde fui modelo revelação da temporada, isso em 2003!

Devido ao grande desempenho, agências internacionais ficaram interessadas no meu trabalho e tive várias propostas de viagem para participar das semanas de moda na Europa. Primeira parada foi Paris, onde fiz um dos melhores trabalho da minha carreira.

Fui modelo exclusivo da marca Christian Dior, uma das mais renomadas no mundo da moda! Foi ai que minha carreira deslanchou.

Trabalhei então para grifes como Calvin Klein, Prada, Alexander McQueen, e no Brasil Ellus, Cavaleira, Alexandre Herchcovitch, Colcci, Ricardo Almeida... rodei o mundo então, fazendo trabalhos por vários países. Japão, China, Hong Kong, Grécia, Tailândia, Taiwan, Itália, Espanha e França. 


Luís Longhini: Por quanto tempo você trabalhou como modelo?

Robson Fasbinder:
Trabalhei por 10 anos. Para homens a carreira não é muito longa, mas consegui ir um pouco além! Decidi parar porque já não estava mais compensando financeiramente. Queria voltar aos estudos por que quando tinha entrado no mundo da moda tive que abandonar. Hoje me sinto realizado.
 

Comecei com desfiles em eventos menores para pegar experiência mas na sequência já participei do São Paulo Fashion Week onde fui modelo revelação


Luís Longhini: Para essa nova geração, que está iniciando a vida agora e tem vontade de seguir a carreira de modelo, como foi no passado para você, o que você tem a dizer?

Robson Fassbinder:
Para essa nova geração, que sonha em ser modelo, seguir essa carreira, aconselho que se for realmente seu desejo, que procure contato com alguém de confiança, alguma agência renomada, ou algum scouter conhecido.

Pois hoje em dia existem vários "falsos scouter" querendo só tirar dinheiro do povo, prometendo um a vida de glamour, muito dinheiro e sucesso. Não que isso não seja possível, desde que esteja em mãos certas.

Outro detalhe que as coisas mudaram muito no mundo da moda. Devido a muitas crises nos últimos anos, foram reduzidos os cachês, enquanto isso mais modelos apareceram e a concorrência aumentou.


Luís Longhini: Você conseguiu ganhar dinheiro com a carreira de modelo?

Robson Fassbinder:
O dinheiro veio sim, demorou um pouco. Tive muitos gastos no inicio no qual a agência arcava com tudo, mas depois era tudo descontado. Brasil não é um lugar onde se possa fazer grana, mas Europa e Ásia te trazem essa segurança financeira, graças a mudança de moeda, euro ou dólar para real! Devido a isso consegui ajudar e dar estabilidade a minha família.
 

Hoje trabalho na BRF, foi um grande desafio mudar a rotina, horários, mas graças ao esforço e dedicação hoje sou um homem realizado.

Luís Longhini: Hoje você já é pai, é casado, como é sua vida, seu dia a dia?

Robson Fassbinder:
Depois que resolvi parar, muitas coisas mudaram na minha vida! Primeiramente procurei um emprego para me fixar de volta a Concórdia.

Trabalhei como vendedor em uma loja de motos, voltei aos estudos e procurei me adaptar novamente as minhas raízes. Conheci minha esposa Charlene através das redes sociais, foi tudo tão rápido, e um ano depois, já eramos três! Nasceu então meu herdeiro, Benjamin. Que trouxe alegria, e ainda mais sentido a nossas vidas.

Hoje ele já está com três anos. Eu mudei de emprego, procurei por algo melhor que trouxesse benefícios a minha família.

Hoje trabalho na BRF, foi um grande desafio mudar a rotina, horários, mas graças ao esforço e dedicação hoje sou um homem realizado. Agradeço a minha família e esposa por estarem sempre do meu lado, apoiando minhas escolhas e me dando força para seguir em frente. 



Luís Longhini: Você tem saudades do passado, da época que você modelava, dos países que você viajou, morou?

Robson Fassbinder:
Saudades dos tempos passados! Como não ter! Mas soube transformar isso em boas lembranças. Vários amigos que fiz ao longo desta jornada, que sempre serão lembrados. As aventuras vividas, as diferentes culturas, idiomas, foram momentos que guardo com muito carinho!

Fonte: Luís Longhini - Fotos: Arquivo Pessoal


Confira a galeria de fotos!






SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR






VEJA TAMBÉM