Rádio Rural AM 840

COLUNA DO LUÍS LONGHINI

Luis Longhini


Lunar, uma atleta de mão cheia... Longhini conta sua história!

Por Luís Longhini
Entrevista
21/11/2019 às 16h08

CONCÓRDIA – Quando o assunto é Jiu-Jitsu, um nome é destaque em Concórdia e no Alto Uruguai Catarinense, e sobressai em todos os quesitos. Sonhadora, batalhadora, a jovem ipumirinense que adotou Concórdia como sua terra natal tem feito do esporte seu caro-chefe.

Aos 30 anos de idade, Lunar Cristina Schiavini Nicodem é um exemplo de superação, um exemplo de que o esporte faz a diferença na vida de qualquer pessoa.

E foi na infância que tudo começou. Futsal, Handebol, Atletismo e por fim, em 2012 o Jiu-Jitsu. De lá para cá, Lunar nunca mais parou, tanto de treinar, quanto de competir. A jovem correu atrás dos seus sonhos, das suas conquistas, de seus desafios.

Lunar, já morou nos Estados Unidos para se aperfeiçoar na modalidade. Ao longo de sua carreia foram inúmeras as conquistas, nada veio por acaso, em cada medalha, em cada comemoração, em cada pódio tem uma história de superação.

 

Toda essa dedicação é porque eu acredito em mim, acredito que o esporte está comigo sempre. Estou super feliz por tudo. Só tenho a agradecer a minha família, meus amigos, meus incentivadores por tudo que já tenho conquistado. Dou diariamente o meu melhor – enfatiza a jovem.



Lunar em dia de treino com os colegas da acâdemia CT Corpo Ativo 

Esse reconhecimento vem de todos. Recentemente Lunar defendeu Concórdia nos Jogos Abertos de Santa Catarina, o JASC, evento que concentra centenas de atletas e a jovem batalhadora, conseguiu o feito, chegar ao pódio no Jiu-Jitsu e conquistar a medalha de oura para Concórdia.

O Superintendente da Fundação Municipal de Esporte de Concórdia, Gil Artifon fez questão de elogiá-la e destacar a garra e persistência da Lunar.

 

Ficamos surpreendidos e encantados com o desempenho da atleta. Ela representou Concórdia muito bem o Jiu-Jitsu. Não a conhecia pessoalmente, mas agora sabemos o grande potencial que ela tem – afirma Artifon.


Para o professor e técnico da Lunar, Laimon Garbossa da Acadêmia CT Corpo Ativo, a Lunar é uma atleta em potencial, cheia de vida e que busca seus objetivos com dedicação evoluindo no Jiu-Jitsu a cada dia.

É, nada vem por acaso! A jovem atleta dedica-se durante o dia ao trabalho. Lunar é colaboradora da Roda Brasil, e é com o suor e com a ajuda de amigos que consegue custear suas viagens para as competições. Pode parecer fácil, mas são horas e mais horas de treino para chegar a perfeição.

Mas se tratando de desempenho, dedicação, Lunar tem muitas conquistas pela frente. A jovem é uma vencedora, uma pessoa que não abaixa a cabeça, que corre em busca dos seus ideais. Lunar é um orgulho para todo o esporte regional.

Confira abaixo a entrevista completa
que Longhini realizou com essa campeã do tatame


Luís Longhini: Quem é a Lunar?
Lunar:
A Lunar é uma garota simples, de sorriso no rosto determinada a conquistar seus objetivos e ajudar as pessoas que encontra em seu caminho.

Luís Longhini: Como o esporte conquistou você?
Lunar:
O esporte sempre fez parte da minha vida. Passei pelo Futsal, Handebol e Atletismo durante a adolescência. Encontrei nos meus colegas e professores de Jiu-Jitsu uma família e uma maneira de me manter saudável física e mentalmente.

Luís Longhini: O Jiu-jitsu faz parte da sua vida, porque da escolha dele?
Lunar:
O Jiu-Jitsu tornou-me uma pessoa segura e mais forte mentalmente. É impossível ficar na zona de conforto no jiu-jitsu; sempre há algo para aprender, não importa a quanto tempo você pratica ou a cor da sua faixa. Além disso o Jiu-jitsu tem muito de lealdade, companheirismo e humildade, que são valores importantes para mim.

Lunar em uma de suas conquistas neste ano Brasil à fora...

Luís Longhini: Ao longo deste tempo, quais foram suas conquistas com Jiu-jitsu?
Lunar:
Desde 2011 venho competindo com regularidade e fazendo pódio em campeonatos regionais e estaduais. Lembro de um absoluto, em Criciúma, Sul do Estado quando eu era faixa azul que foram seis lutas até a final e o prêmio mil reais. Foi uma das únicas vezes que recebi premiação em dinheiro. Em 2019, fiquei em segundo lugar no Campeonato Brasileiro, em São Paulo e no Campeonato Mundial, em Las Vegas nos Estados Unidos, ambos na categoria Master 1. Fiquei também em segundo lugar no American Nationals de Las Vegas na categoria adulto e o mais recente, o tão sonhado ouro no JASC. Essa conquista foi muito importante pois mostrou que o meu treino está dando certo e estou a cada passo mais perto do topo.

Luís Longhini: Recentemente você participou dos Jogos Abertos de Santa Catarina, conquistando boa colocação por Concórdia. Defender a cidade foi importante?
Lunar:
Comecei a receber convites de outras cidades para competir o JASC enquanto estava treinando na Califórnia, mas até então, eu não sabia que voltaria ao Brasil a tempo de competir. Quando tive certeza da data de retorno, mandei mensagem para o meu técnico Laimon e pedi se ele me inscreveria por Concórdia. Estudei no IFC em Concórdia, treinei de 2014 a 2017 em Concórdia e, trabalho em Concórdia desde 2014. Representar Concórdia foi uma honra e pra mim a única opção que realmente considerei.

Luís Longhini: O Jiu-jitsu é valorizado como esporte, ou as pessoas ainda tem um certo preconceito?
Lunar:
No exterior e nos grandes centros uma pequena parcela de atletas consegue viver do esporte, isso devido à quantidade de campeonatos com premiação em dinheiro aumentar. Na nossa realidade, terra do futebol, acredito que vai um tempo ainda para Jiu-jitsu ser visto como um esporte. Hoje, o Jiu-Jitsu é sinal de disciplina e dedicação. Crianças a partir dos quatro anos começam a praticar para iniciarem o senso de compromisso, aprender a se relacionar em grupo e claro, desenvolver a coordenação motora. Já foi-se o tempo em que Jiu-Jitsu era visto como um recurso para brigar na rua. Quem luta não briga.

Quer conhecer mais da Lunar: Acesse suas redes sociais por aqui.

Fonte: Luís Longhini - Fotos: Luís Longhini e Arquivo Pessoal


Confira a galeria de fotos!






01 COMENTÁRIO - Deixe também o seu Comentário



JellyBen comentou em 21/11/2019 as 16:48:20
Guerreira essa mulher!!!
Foi um prazer ter ela aqui treinando na academia Gracie South Bay em San Diego! Volte logo!