Rádio Rural AM 840

OPINIÃO

LUAN DE BORTOLI




​Queremos uma equação justa para os combustíveis

Governo prometeu, mas preço não diminuiu.
Adicionado em 03/01/2020 às 09:08:37

Contrariando o consumidor, o preço da gasolina (etanol e até o diesel) não para de subir nos últimos tempos em todo o país. A previsão era que em 2019, diferente do que ocorreu em 2018, o preço do produto seria de estabilidade ou baixa. Isso não aconteceu. No segundo semestre, subiu bastante.

Sabemos, e é fato, que em 2018, o preço da gasolina, especialmente, subiu fortemente, foi um dos piores períodos em termos de alta. Naquela época, o dólar também estava em alta, e o país vivia a imprevisibilidade em relação ao cenário político, afinal, era período de eleição. Este foi, inclusive, um assunto muito usado por alguns candidatos. Se prometia, como se fosse algo fácil, a baixa do preço.

Aconteceu que ocorreu o contrário. Depois de rápidas quedas, o preço voltou a subir. Isso ocorre porque a Petrobrás pratica o preço equiparado ao cenário internacional. Se sobe lá, sobe cá também. Esta nova política de preços não consegue ter interferência política, configurando que os candidatos apenas se aproveitavam da situação.

O problema é que, claro, quando se aumenta o preço do combustível lá na refinaria, as distribuidoras também recebem este aumento, que passam para os postos, que, por sua vez, não querem arcar sozinhos com isso, e acabam aplicando na ponta final, o consumidor. E esse não tem muito o que fazer.

A média da gasolina, por exemplo, em 2019, será apenas nove centavos a menos do que a média em 2018, isso em Concórdia, aponta uma tendência. Os números deverão se confirmar na próxima semana. Apesar de uma baixa, ainda é um valor bastante alto em relação há anos anteriores.

É preciso que se encontre uma equação justa. Não dá para o consumidor sofrer semana após semana com estas altas. Nem estou falando que os postos devem arcar sozinhos com os aumentos. Mas é preciso que governo e Petrobrás também se preocupem com isso. Quem tem o poder em suas mãos precisa urgentemente agir – pois o preço do combustível cresce mais do que o aumento que a população vem recebendo. 

Bônus:

E fiquem atentos: o ataque dos Estados Unidos ao Iraque, entre esta quinta (02) e sexta-feira (03), que resultou na morte de um general e em uma iminente retaliação por parte daquele governo, deverá ter vários reflexos, entre eles, o preço do combustível, que poderá passar por altas em breve.





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM

18

Set
Luan de Bortoli

​O retorno às aulas presenciais é urgente?

Assunto em alta nas últimas semanas, o retorno às aulas presenciais ainda não é unanimidade. Este tema, a bem da verdade, é uma das polêmicas do momento e não chega a um consenso entre autoridades ligadas ao setor de ensino. Diante de tanto...

Leia mais

12

Set
Luan de Bortoli

Covid-19: diminuir não significa que vencemos

Nesta semana, Concórdia e os municípios da Amauc atingiram "bons números" referentes ao coronavírus. Santa Catarina também está em estabilidade e queda. O país, de forma geral, também vem, timidamente, registrando quedas consideráveis em casos e...

Leia mais

04

Set
Luan de Bortoli

Setembro amarelo tem que ser ano todo

Todos os anos, no mês de setembro, a situação se repete. Chega a campanha Setembro Amarelo e as pessoas compartilham mensagens de apoio e solidariedade nas redes sociais. Cobram a empatia e dizem que é preciso evoluir como sociedade e a forma que se...

Leia mais

28

Ago
Luan de Bortoli

Faça sua parte!

Diariamente as pessoas cobram. Cobram as demais, cobram a sociedade, cobram o governo. Querem que os outros sempre sejam o exemplo. Que façam sua parte. Denunciam a corrupção. E que só assim teríamos um país melhor, dizem. Mas não se cobram. Não...

Leia mais

21

Ago
Luan de Bortoli

Pelo direito à vida… de quem?

A polêmica da vez no Brasil foi o triste caso envolvendo uma menina de dez anos, que foi abusada seguidamente durante quatro anos, até o fatídico momento em que acabou engravidando do homem. E mesmo em uma situação tão delicada e lamentável como...

Leia mais