Rádio Rural AM 840

OPINIÃO

MARCOS FEIJÓ



Radiojornalista
Marcos Roberto Andriatta Feijó, 49 anos de idade - Natural: Porto Alegre. Radiojornalista (curso superior sequencial/UNC Concórdia) 31 anos de profissão. Narrador esportivo




FRAQUEJEI

No rol dos culpados?
Adicionado em 19/05/2020 às 12:23:59

Eu estava na fila do caixa do mercado, na minha frente uma senhora já passando suas compras. Todos de máscara, ok! Quando ela foi pagar, fuçava, fuçava, na bolsa. Procurava o dinheiro e não achava. Quando, desesperada, sei lá, apontou pra mim e disse: “foi ele quem pegou. Enquanto deixei o carrinho num corredor e fui no açougue, ele pegou”. Minha nossa! Fiquei vermelho de vergonha e raiva. Apesar do pessoal tomar distância na fila, tinha muita gente vendo. Em pouco tempo dois seguranças chegaram e a senhora replicava que eu peguei seu dinheiro. Eu não sabia o que falar. Travei! “Feijó, suba aqui no escritório”, disse um conhecido do estabelecimento. E assim, subimos todos. Enquanto eu estava na escada pensei numa saída. Lá em cima perguntei à mulher, na frente dos demais,  que, então, seu eu deveria estar com a grana  quanto seria?(eu tinha uns 12 reais comigo, pois fui ao mercado para comprar apenas um desodorante). Ela titubeou, não sabia, então os seguranças a forçaram a verificar melhor suas coisas, quando, então, encontrou, creio, uns R$ 200 reais em outra repartição da bolsa.

Iniciaram os pedidos de desculpa e eu ainda assustado. Disse, “até aceito, mas e o pessoal que estava lá embaixo na fila. Todos me olharam me condenando. E agora?”  A senhora, perdida, sem saber onde enfiar a cara, pediu que eu fosse à casa dela, queria provar que ela era uma pessoa ansiosa e que errou. Pra sair logo daquela cena, aceitei.  Fomos ao apartamento, duas quadras do mercado. Fiquei na sala e ela foi até a cozinha preparar “chá calmante”. Eu estava ainda muito P da vida. Olhei para a cristaleira e vi um despertador lindo, quadrado, provavelmente de ouro ou banhado. Levantei, pus na sacola(estava com a sacola do mercado e o desodorante que acabei saindo sem pagar, na correia kkkkkk). Realmente, pensei em me vingar e levar aquela "joia" pra casa.

Quando a senhora vinha da cozinha com duas xícaras numa bandeja, agradeci e falei que estava indo. Ela insistiu pra que ficasse. Quando eu pus a mão na maçaneta da porta, a droga do relógio despertou. Acordei! Eu estava sonhando.





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM

07

Jul
Marcos Feijó

O material...

Vocês já pararam para perceber o tamanho do mundão? Já notaram quando viajamos olhando pela janela a imensidão de campos sem fim? Pois a grande maioria de nós vive a viva toda por um pedacinho de chão, talvez uma média de 450 metros quadrados e a sua...

Leia mais

30

Jun
Marcos Feijó

Não mais na minha geração

Duas obras para Concórdia, que particularmente tanto cobrei, e que não creio mais que as verei: a reforma do ginásio Silveirão e a calçada(passeio) entre o Guilherme Reich e o Nova Brasília, costeando a SC 390. A falta de força política é maior que o...

Leia mais

23

Jun
Marcos Feijó

Não perca a força!

A palavra “quebradeira” é até um pouco pejorativa, mas quero escrever a linguagem simples. Tenho falado com algumas pessoas que entendem de finanças e a maioria diz que a “dor de barriga” sequer chegou. O certo é que teremos que nos regenerar. Viver...

Leia mais

16

Jun
Marcos Feijó

APODRECEU!

Deu, acabou, vamos pra realidade, pra verdade, pra mais pura definição: a SC 283, entre Concórdia e Chapecó apodreceu. Isso mesmo: de apodrecer. Reforço o sentido da palavra porque a rodovia está podre.  Mas se você que uma rotulagem mais sutil:...

Leia mais

09

Jun
Marcos Feijó

Futebol retrô!?

Não parei para assistir, muito menos ouvir, retransmissões de partidas de futebol. Na verdade, por curiosidade, alguma coisa da Copa de 70 acabei vendo, mas bem pouco. A maioria dos cronistas diz que nos dias de hoje o futebol é mais valente, mais...

Leia mais