ÁREA RESTRITA - Bem Vindo {NOME_USUARIO}




BLOG DOS COLUNISTAS

Radiojornalista
Jornalista
Repórter Polícial
Jornalista

EDERSON VILAS BOAS


Jornalista
Éderson Carpeggiani Villas Bôas
Jornalista formado pela UnC Concórdia em 2007
Repórter do Departamento de Jornalismo da Rádio Rural
Repórter Esportivo da Rádio Rural
Comunicador da Rádio 96 FM



Ele é o "Cara" e merece
Adicionado em 22/03/2019 às 14:56:55

Caramba!! Não tinha conseguido ainda parar e escrever sobre o grande feito da Associação Atlética Universitária, no último final de semana. Para os olhos do País, foi uma baita conquista. E foi. Mas quero argumentar que, para os nossos olhos, isso mais cedo ou mais tarde aconteceria. Era coisa certa! Não, não quero menosprezar nenhum adversário, muito menos dizer que a AAU é imbatível. Quero apenas afirmar que este trabalho vencedor já criou corpo, já tem potencial suficiente para merecer uma conquista destas.

Temos um jovem clube de 14 anos, mas que parece um vovô experiente. O que ainda me deixa aborrecido é fechar ano e iniciar ano, sem saber se a equipe permanecerá ou encerrará as atividades. Por que é sempre a mesma novela: A FALTA DE INVESTIMENTO. Não entendo! É a modalidade mais vencedora dos últimos anos aqui em Concórdia e sempre está a míngua, tendo que mendigar apoio, recurso, fazer rifa, pedir apoio nas ruas. Não que isso seja demérito. Pelo contrário, leva as atletas para perto do povo. Mas, bem que eu gostaria que isso ocorresse de outra forma. Então os nossos governantes tem que rever as estratégias de investimento. Inadmissível uma equipe multicampeã ter que pechinchar para tocar o projeto a cada ano. Ele leva o nome de CONCÓRDIA para os quatro cantos do mundo. É consolidado. Consistente.

Mas seria desconexo falar de um projeto vencedor sem citar um cidadão que veio a Concórdia ainda nos anos 80 e que adotou nosso município como sua casa. Onde seus filhos nasceram, cresceram e estão aí demonstrando o amor pela modalidade que o Pai foi um “Monstro”.

Porque usei o sinônimo “Foi”? Se este é sinônimo passado de existiu? Por que ele, na terceira pessoa do singular do pretérito perfeito do indicativo do verbo, representa “Ser”. Ou seja, aquilo que supõe-se existir. E existe! Ele é real. É simplesmente o melhor técnico do Brasil. E já tendo sido um dos melhores atletas do nosso país. Alexandre Schneider é um cara ímpar. Um treinador exigente, que cobra muito (A Tauane é exemplo disso), mas que sensivelmente, em momentos ríspidos, sabe ter esta sensibilidade para tirar o melhor de cada atleta. Esse é o Alexandre que sabe “Ser” o que as atletas necessitam que ele seja. Isto é, ele dá para o grupo o que ele é, antes de qualquer ensinamento, que na sequencia é assimilado e se transforma neste projeto vencedor.

Conheço o Tani desde quando eu era um garoto campeão dos Joguinhos Abertos e ele um dos melhores atletas da América. E desde lá, diante do seu semblante sisudo, soube “Ser”, sem talvez acreditar que um dia seria: o Melhor, o ímpar, o campeão.

Parabéns Atletas. Parabéns professor, o senhor só está colhendo o que um dia plantou.

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR






© - Ideia Good - Soluções para Internet