Rádio Rural AM 840

NOTÍCIAS


Carnaval

Prefeitura deseja manter Carnaval mas está revendo valores

Evento pode voltar para o centro de Concórdia.

Por Luan de Bortoli
05/01/2017 às 07h59 | Atualizada em 05/01/2017 - 19h29

A realização do Carnaval em Concórdia ainda segue incerta para este ano. Mas uma reunião que ocorreu na manhã desta quinta-feira, dia 05, envolvendo o prefeito Rogério Pacheco, vice, Edilson Massocco, a Liga Independente das Escolas de Samba (Liesc) e diretoria das agremiações de Concórdia tratou sobre o assunto. Segundo a Prefeitura, o desejo é manter o evento neste ano.

De acordo com informações da assessoria, durante o encontro a Liga apresentou uma nova proposta com valores para a prefeitura auxiliar os desfiles no município. Anteriormente uma proposta já havia sido apresentada mas a administração afirmou que o valor era alto demais para o período de contenção de gastos. 

Ainda de acordo com informações, na reunião se falou em rever locais onde o evento vai ocorrer e estrutura. Os desfiles já foram feitos na rua Dr. Maruri, em frente à Praça Dogello Goss, e também no Parque de Exposições. A possibilidade que volte para o centro de Concórdia é grande.

Veja as informações da prefeitura:

A maior dúvida da população e envolvidos com o Carnaval de Concórdia é se haverá ou não o evento no município. Por parte da Administração Municipal a intenção é manter o Carnaval, mas ainda analisa condições legais e financeiras para firmar a parceria. Em reunião, na manhã desta quinta-feira, 5, o prefeito Rogério Pacheco e o vice Edilson Massocco, juntamente com o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Carlos Bomm, e o superintendente da Fundação Municipal de Cultura, Júlio Gomes, receberam integrantes da Liga Independente das Escolas de Samba de Concórdia e representantes das três escolas que participaram do Carnaval no último ano. Na pauta, as possíveis alterações no evento em ano de recursos escassos e a entrega de uma nova proposta da Liga à Administração.

O prefeito Rogério Pacheco deixou claro que a intenção, por parte do poder municipal, é não deixar morrer a “chama” do Carnaval, que obteve um crescimento surpreendente nos seis últimos anos. “Gostaríamos de deixar claro que este é um ano diferente e não podemos criar falsas expectativas, mas somos totalmente favoráveis a continuidade do Carnal, porém teremos que chegar a um acordo para possíveis mudanças que possam enxugar os custos do evento em 2017”, afirmou Pacheco, ressaltando o momento financeiro difícil. Como as escolas tem urgência em saber se terão ou não uma ajuda financeira para entrar na avenida, Pacheco, que ainda se reunirá com a equipe jurídica e administrativa, se comprometeu em dar um posicionamento até a próxima segunda-feira, 9.

Durante a reunião foram debatidas possibilidades como o retorno do Carnaval para o centro do município, instalação ou não de arquibancadas e participação de uma bancada de jurados ao desfile. Por enquanto, não existem definições quanto as mudanças, mas todos consensaram que é preciso fazer um evento que reúna um grande público, pois é esta a finalidade do Carnaval, que acaba perdendo o brilho se não tiver expectadores. Quanto aos valores solicitados pela Liga à Administração, foram reduzidos em comparação a primeira proposta. O presidente da Liga, Neuri Garghetti, destacou que a maior preocupação das escolas realmente é quanto ao valor oferecido na premiação, pois são estes os recursos que custearão toda a elaboração da escola.





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM