Rádio Rural AM 840

NOTÍCIAS


Brasil

Quase extinto, Horário de Verão começa no domingo

Relógios devem ser adiantados em uma hora.

Por Luan de Bortoli
13/10/2017 às 08h07 | Atualizada em 15/10/2017 - 23h54

O fim do Horário de Verão nunca esteve tão próximo, mas não será ainda desta vez que ele será extinto no país, um pedido antigo de grande parte da população brasileira. Desta forma, neste domingo, dia 15, a medida que visa economia no país entrará em vigor em 11 estados, além do Distrito Federal. À meia-noite, os brasileiros terão de adiantar o relógio em uma hora.

A nova edição do horário de verão vai durar até o dia 18 de fevereiro. O ajuste do horário vale para os moradores do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal. No Brasil, o horário de verão foi instituído pela primeira vez no verão de 1931/1932.

O objetivo é gerar economia aproveitando o maior período de luz solar possível para economizar energia. Com a mudança no relógio, o leste do Amazonas e os estados de Roraima e Rondônia ficam com duas horas a menos em relação ao horário de Brasília, enquanto Acre e oeste do Amazonas ficam com três horas a menos. A última edição gerou economia de quase R$ 160 milhões.

O fim do horário de verão chegou a ser avaliado pelo governo depois que um estudo do Ministério de Minas e Energia apontou queda na efetividade do programa, já que o perfil de consumo de eletricidade não estava mais diretamente ligado ao horário e sim à temperatura, com picos de consumo nas horas mais quentes do dia.

Entretanto, o país passa por mais um ano de chuvas fracas que reduziram o armazenamento de água nas represas das hidrelétricas. Diante desse quadro, mesmo que pequena a economia de energia proporcionada pelo horário de verão pode ajudar o sistema elétrico nacional. O Ministério de Minas e Energia informou que, para 2018, o governo deve fazer uma pesquisa para decidir se mantém ou não o horário diferenciado nos próximos anos.





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM