Rádio Rural AM 840

NOTÍCIAS


Brasil

Dois servidores da Embrapa Suínos e Aves estão entre os 16 candidatos à presidência nacional da Empresa

Lista de três nomes será entregue ao presidente Michel Temer.

Por Marcos Feijó
05/09/2018 às 14h32 | Atualizada em 05/09/2018 - 22h13

Dirceu Talamini e Gilberto Schmidt concorrem à presidência nacional da Embrapa. Ambos atuam na Embrapa Suínos e Aves em Concórdia.  São 16 candidatos disputando a presença na lista final de três nomes que será entregue ao presidente Michel Temer. Dez candidatos atuam em unidades da Embrapa e seis são os chamados externos, de outras instituições ou iniciativa privada. O nome será conhecido no dia 15 de outubro e substituirá Maurício Lopes que preside a Empresa há seis anos.


Matéria EM.COM.BR
A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) terá 16 candidatos à sucessão de seu atual presidente, Maurício Lopes, sendo dois deles ex-ministros. Entre os postulantes ao cargo, dez são funcionários da estatal e seis são externos, incluindo Altemir Gregolin, ex-ministro da Pesca e Aquicultura, e Luís Carlos Guedes Pinto, ex-ministro da Agricultura, ambos no segundo mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Outro não funcionário é Francisco "Xico" Graziano, ex-chefe de Gabinete no primeiro mandato do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e ex-secretário de Agricultura e do Meio Ambiente de São Paulo.

Também são candidatos André Nepomuceno Dusi, Cleber Oliveira Soares, Dirceu João Duarte Talamini, Eduardo Delgado Assad, Elisio Contini, Francisco José Becker Reifschneider, Gilberto Silber Schmidt, José Amauri Buso, Mauro Carneiro e Miguel Ivan Lacerda de Oliveira, funcionários da Embrapa, alguns deles cedidos a outras instituições públicas. Os candidatos externos restantes são Dante Daniel Giacomelli Scolari, José Carlos Vaz, Sebastião Barbosa. Scolari e Barbosa são aposentados da Embrapa.

Uma comissão de apoio com quatro membros, dois indicados pelo Ministério da Agricultura e dois pela Embrapa, subsidiará o conselho da estatal na análise dos documentos dos candidatos até a segunda semana de setembro e na entrevista dos três nomes selecionados. O escolhido passará pelo crivo da Casa Civil e do comitê de elegibilidade da Embrapa. O novo presidente da Embrapa será anunciado até 15 de outubro.

colaborou: Luís Longhini





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM