ÁREA RESTRITA - Bem Vindo {NOME_USUARIO}




NOTÍCIAS


CONCÓRDIA

Coleta de lixo reciclável com atrasos temporários
Contrato com empresa encerrou e nova licitação está em andamento.


Por Luan de Bortoli
Em 10/10/2018 - 08h16 - Atualizada em 11/10/2018 - 08:49



A administração municipal de Concórdia informou nesta terça-feira, dia 09, que o contrato com a empresa responsável pelo recolhimento do lixo reciclável do município foi encerrado recentemente e, que um novo processo licitatório está em andamento, com previsão de definição até o fim de outubro. Diante desta situação, quem está realizando o recolhimento é a CRI, que já recolhe também os demais tipos de dejetos.

Esta situação está gerando uma demora maior no processo de coleta de lixo em Concórdia. Alguns moradores entraram em contato com a reportagem da emissora dizendo que o reciclável está ficando acumulado. No entanto, isso se justifica pelo acumulo de serviço a cargo de apenas uma empresa, segundo explicou o engenheiro sanitarista da secretaria de urbanismo e obras, Aníbal Fontanella de Souza.

De acordo com ele, alguns pontos de Concórdia deverão sofrer mais com este encerramento de contrato, que já vem de alguns meses. “Atualmente quem está realizando o serviço são as cooperativas e associações. Pode ocorrer algumas situações de alguns locais que eles não estejam recolhendo, mas são exceções”, destaca o engenheiro.

O processo licitatório já está em andamento e as próprias cooperativas que atualmente também recolhem material podem participar. “Atualmente temos contrato com a empresa que realiza a coleta do lixo orgânico. Para a coleta seletiva está sendo elaborado novo processo. Esse processo licitatório as cooperativas vão ter oportunidade de participar”.

A intenção da prefeitura é que em novembro, quem for habilitado através da licitação já esteja apto a realizar o recolhimento, encerrando o problema. “Tudo vai depender dessa licitação, mas acredito que em novembro já vai ter uma nova empresa, ou mesmo as cooperativas se tiverem habilitação para participar da licitação”, comenta.

O engenheiro ressalta ainda que a ouvidoria da prefeitura está à disposição de possíveis reclamações da população. Os moradores também podem encontrar em contato diretamente com a secretaria de urbanismo e obras, no 3441.2191, ou até mesmo com a Fundação Municipal de Proteção ao Meio Ambiente (Fumdema), no 3444-8868



04 COMENTÁRIOS - Deixe também o seu Comentário



Claudio Bellaver - Qualyfoco Cons. Ltda/ ProEmbrapa comentou em 11/10/2018 as 00:04:18

A viabilidade econômica e social do tratamento do RSU, envolve estimativas da Abrelpe, para o custo de tratamento e destinação, bem como, custos evitados de transporte e os preços já cobrados dos munícipes nas taxas ambientais via IPTU. A Qualyfoco Integradora se coloca como parceira para a Estruturação do Projeto buscando a Compliance Ambiental e, se a solução for considerada de interesse municipal, pode buscar fundos de financiamento com taxas de juros atrativas para PPPs.
Claudio Bellaver - Qualyfoco Cons. Ltda/ ProEmbrapa comentou em 10/10/2018 as 23:55:28

Conversamos com os gestores municipais ao longo dos últimos 2 anos, mas percebemos que tivemos pouco sucesso, ao ler essa notícia. Há vários equívocos em formatar licitações separadas; uma para recicláveis dos Resíduos Sólidos Urbanos (RSU), outra para fração orgânica do RSU, sendo esse último o lixo úmido (com uma mistura de materiais). Grande parte dos materiais não serão corretamente destinados. A fração orgânica não é rejeito e deve ser tratada via compostagem (Resolução CONAMA).
Claudio Bellaver - Qualyfoco Cons. Ltda/ ProEmbrapa comentou em 10/10/2018 as 23:52:47

Conversamos com os gestores municipais ao longo dos últimos 2 anos, mas percebemos que tivemos pouco sucesso, ao ler essa notícia. Há vários equívocos em formatar licitações separadas; uma para recicláveis dos Resíduos Sólidos Urbanos (RSU ou, lixo), outra para fração orgânica do RSU, sendo esse último o lixo úmido (com uma mistura de materiais, mais orgânicos). Grande parte dos materiais não serão corretamente destinados. A fração orgânica não é considerada rejeito e deverá ser tratada via compostagem de acordo com a resolução CONAMA/MMA.
Claudio Bellaver - Qualyfoco Cons. Ltda/ ProEmbrapa comentou em 10/10/2018 as 23:50:01

Entendemos que quando há emergências, precisam ser tratadas. Porém, já conversamos com os gestores municipais ao longo dos últimos 2 anos, mas percebemos que tivemos pouco sucesso, ao ler essa notícia. Há vários equívocos em formatar licitações separadas; uma para recicláveis dos Resíduos Sólidos Urbanos (RSU ou, lixo), outra para fração orgânica do RSU, sendo esse último o lixo úmido (com uma mistura de materiais, mais orgânicos). Grande parte dos materiais não serão corretamente destinados. Há que se considerar que a fração orgânica não é considerada rejeito e deverá ser tratada via compostagem de acordo com a resolução CONAMA/MMA.



© - Ideia Good - Soluções para Internet