Rádio Rural AM 840

NOTÍCIAS


Caminhoneiros

Manifestação de caminhoneiros não deve chegar a SC

Liderança da região diz que movimento está concentrado em Goiás, mas ainda pode se espalhar pelo país.

Por Luan de Bortoli
30/10/2018 às 07h45 | Atualizada em 30/10/2018 - 16h20

A semana começou com a notícia de que uma nova manifestação dos caminhoneiros pode ocorrer no Brasil. O motivo é o descumprimento da tabela do piso mínimo do frete, que os caminhoneiros entendem como uma falha da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). O movimento, por enquanto, a manifestação ocorre apenas no estado de Goiás. 

Charles Vivan, uma das lideranças da região de Concórdia para a classe de caminhoneiros, explicou à reportagem da emissora que o movimento, porém, não é uma greve e sim uma manifestação de alguns caminhoneiros. “Na verdade, não é uma paralisação, é uma manifestação que está sendo feita em respeito à tabela mínima de fretes. Os caminhões não são proibidos de transitar. O que tá acontecendo é uma fiscalização junto com a PRF do Goiás e a ANTT, para ela ser respeita. Então quem está passando por Catalão (Goiás), tá sendo parado. E só vai ser liberado quando realmente rodar dentro da tabela mínima”, explicou.

No momento, apenas lideranças de Goiás estão conduzido este movimento, mas a continuidade do não respeito à tabela poderá expandir para outros lugares. “Por enquanto, só em Catalão, é o Chorão que está organizando, que foi um dos nossos organizadores em Brasília. Quem sabe mais pra frente, se as empresas não respeitarem, poderemos fazer em mais lugares”, comenta ele, lembrando que a classe está descontente com empresas que não estão querendo pagar a tabela.

Na época da greve passada, a tabela do frete foi feita às pressas, para encerrar a paralisação de maio. Após um vai e vem de valores e cálculos, o governo federal fechou com um valor que valerá até janeiro de 2019. Além da tabela, houve uma redução em 0,30 real no valor do litro do diesel para caminhoneiros. Com o cumprimento da tabela, o subsídio, que se encerra no dia 31 de dezembro, poderia ser extinguido.





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM