Rádio Rural AM 840

NOTÍCIAS


Geral

Tragédia aérea: um mês depois, investigação continua

Empresário concordiense Odimar Roman perdeu a vida no acidente.

Por Luan de Bortoli
03/06/2019 às 06h40 | Atualizada em 03/06/2019 - 21h28

Completa um mês nesta segunda-feira, dia 03, a tragédia aérea que tirou a vida do empresário concordiense Odimar Roman, de 53 anos. O fato aconteceu no interior de Concórdia. As causas oficiais para o acidente com o avião de pequeno porte, do tipo ultraleve, ainda são desconhecidas. As investigações prosseguem por parte dos Serviços Regionais de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA).

O órgão, que é subordinado ao Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) e à Força Aérea Brasileira (FAB), esteve em Concórdia no dia 4 de maio, um dia depois da tragédia, com dois investigadores para iniciar a apuração das causas do acidente. Até o momento, conforme o site oficial do órgão, a investigação não terminou e ainda não há prazos para a conclusão.

Conforme dados que constam no Sistema de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SIPAER), o status da investigação para a aeronave de matrícula PUPRI é Ativo, ou seja, que ela ainda segue sendo realizada. O tipo de investigação é Indeterminado, mas no detalhamento consta que o piloto realizava um voo local experimental, e, ao fazer uma curva para voltar à pista do Aeroporto Municipal, a aeronave colidiu no topo de algumas árvores, ficando destruída.

Na época em que o Seripa veio a Concórdia, o capitão Samuel, responsável pelo órgão, explicou à reportagem que investigação é complexa e detalhada, dependendo de materiais encontrados no local. Conforme o capitão, era possível que alguma das peças pudessem ser recolhidas e até enviadas para fora do país para passar por análises.

A tragédia aconteceu em Linha São Geraldo, distante cerca de três quilômetros do aeroporto, no dia 03 de maio, pouco antes das 19 horas. Conforme informações apuradas, o empresário havia adquirido o avião há poucos dias e fazia testes no aeroporto pouco antes de fazer um voo experimental. Roman perdeu a vida instantaneamente. Ele era o único ocupante.

relembre

+ Tragédia: concordiense morre em queda de avião
+ Tragédia aérea: novas imagens mostram local do acidente
+ Vítima de tragédia foi sepultada neste sábado
+ Investigação de queda de avião iniciou no sábado






SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM