Rádio Rural AM 840

NOTÍCIAS


Região

Jetta envolvido no acidente com mortes em Ponte Serrada estava a mais de 180 km/h

Acidente aconteceu no último mês após colidir com outro veículo na BR-282.

Por Ederson Vilas Boas
13/06/2019 às 07h18


Ponte Serrada – O Volkswagen Jetta, envolvido no acidente que provocou a morte de duas pessoas no último dia 17 de maio em Ponte Serrada, estava a 183 km/h, segundo laudo que integra o inquérito aberto pela Polícia Civil para investigar a tragédia. O motorista abandonou o local após a batida contra o Fiat Uno, que cruzava a BR-282, em um trevo secundário do município.

A Polícia Civil ainda não divulgou detalhes sobre as investigações. O inquérito segue em fase de conclusão, o que deve ocorrer dentro dos próximos dias. Mas segundo apurou o Oeste Mais, em depoimento, o condutor do Jetta, com placas de Herval d’Oeste, disse que não se lembrava do acidente. O homem se apresentou na Delegacia mais de uma semana depois do acidente.

O condutor, de 35 anos, afirmou às autoridades que saiu do local andando e foi para casa. A Polícia apurou ainda que ele estava em uma boate, a cerca de três quilômetros do ponto da colisão, instantes antes do acidente. De lá, seguiu em alta velocidade pela rodovia. O homem já possui passagens pela polícia, incluindo um flagrante de embriaguez ao volante.

Na carona do Jetta estava Fábio Garbozza, 30 anos, que morreu no local. O motorista do Fiat Uno, Gabriel Tormen, 19 anos, foi a outra vítima fatal. Ambos foram projetados dos veículos.

O laudo da Polícia Civil também informa que a perícia feita no trecho da colisão não constatou sinal de freada do Jetta. Com base na velocidade do carro, a estimativa é que depois de passar por um radar desativado, ele chegou ao trevo onde ocorreu a batida em apenas três segundos. Na velocidade de 80 km/h, também segundo as investigações, levaria mais de dez segundos para percorrer o trecho de mais de 300 metros.

A Polícia Civil ainda vai ouvir o testemunho de policiais rodoviários federais antes de fechar o inquérito e entregar o documento ao Ministério Público. Só depois da conclusão as autoridades também deverão confirmar se o motorista será indiciado, e em quais crimes.


Fonte: Oeste Mais





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM