Rádio Rural AM 840

NOTÍCIAS


Brasil

Protesto é realizado em Concórdia (fotos e vídeo)

Na pauta do protesto a reforma da previdência e bloqueio nos recursos da educação.

Por Luan de Bortoli
14/06/2019 às 06h49 | Atualizada em 14/06/2019 - 17h23

Centrais sindicais de todo o País convocaram trabalhadores de diversas categorias para uma greve geral que ocorre ao longo de toda esta sexta-feira, 14. O objetivo, de acordo com líderes das entidades, é protestar contra o projeto do governo de reforma da Previdência. A mobilização também foi realizada em Concórdia. No entanto, não foi uma greve geral, já que se concentrou apenas no período da tarde.

Também fazem parte das reivindicações temas como maior geração de empregos formais, retomada do crescimento da economia e contingenciamento na Educação, conforme um dos organizadores em Concórdia, Bruno Marques. “[Estão convidados] Todos os trabalhadores, população que simpatizar com a nossa pauta, que é contra a reforma da previdência, que a gente entende que não resolve a situação do país e sim prejudica o trabalhador. E também contra os cortes na educação, que entendemos que não pode ser cortado nada”.

Em grandes centros e capitais, a greve ocorre durante o dia todo. Segundo os movimentos, a prioridade era que os trabalhadores “cruzassem os braços” da madrugada desta quinta-feira, 13, para sexta-feira, 14, com manifestações sendo utilizadas como complemento à paralisação. São Paulo e Rio de Janeiro devem reunir o maior público.

Para Concórdia, a mobilização iniciou às 15h30 e vai até o início da noite para que trabalhadores possam participar depois do horário de trabalho. O movimento era agendado para terminar por volta das 19 horas. Até por volta das 17 horas, cerca de 150 pessoas participavam. O grupo também fez uma caminhada pela Rua Dr. Maruri.

Em Concórdia, o movimento é organizado pelo Coletivo Sindical, formado por dez sindicatos – todos eles participaram. O Sindicato dos Bancários, por exemplo, enviou uma nota dizendo que apoia o movimento e vai convidar os bancários a participar da mobilização. Alguns alunos do Instituto Federal Catarinense, campus Concórdia, também eram esperados, já que a unidade foi atingida pelo bloqueio nos recursos da educação.

O movimento é considerado apartidário e não deverá ter como pauta, por exemplo, os vazamentos ocorridos nesta semana, envolvendo a Lava Jato e o ministro Sério Moro. Não há expectativa de público até o momento. No Estado, vários municípios também já confirmaram o protesto.







SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM