Rádio Rural AM 840

NOTÍCIAS


Saúde

HSF: confiança sobre credenciamento da cardiologia e oncologia

Obra de melhorias e ampliação tem custo de R$ 50 milhões.

Por Luan de Bortoli
05/08/2019 às 08h45 | Atualizada em 06/08/2019 - 07h25

O Hospital São Francisco está, desde o ano passado, em obras. A unidade hospitalar, uma das mais importantes da região, trabalha para melhorar seu atendimento tanto internamente, com a aquisição de equipamentos, quanto na parte estrutural, que está passando por reforma e ampliação. A obra toda, como está projetada, terá um custo estimado em R$ 50 milhões.

Conforme o administrador da unidade hospitalar, Claudemir Andrighi, a obra vem crescendo e ganhando corpo aos poucos. “Já estamos com praticamente com oito meses de início e é uma situação que parece que não anda, porque a fundação é complexa, desde a retirada da terra, entulhos e rocha, a logística é complexa. Mas agora estamos em fase de fazer sapatas. Aos poucos a obra começa a criar corpo. E a gente se sente mais aliviado.”

Conforme o projeto, a ampliação contempla duas torres, sendo uma de 12 andares, e outra de nove , além de garagem para 377 veículos. A obra terá duas etapas. Nesta primeira, o investimento é de cerca de R$ 20 milhões. A previsão é que o trabalho todo dure até sete anos. Ao fim da ampliação completa, o Hospital terá 51 mil metros², com 319 leitos, sendo 50 somente para tratamento intensivo. 

 A ampliação vai contemplar uma série de melhorias. “Serão duas torres, uma de 12 andares, mais uma de nove. Além de um estacionamento, no segundo momento. Na de 12 andares, serão reestruturados serviços já existentes, como a UTI Neo Natal e Infantil, que serão transportados para esta nova ala. No segundo momento, o serviço de emergência, de pronto-socorro, que está na Marechal Deodoro, será transferido para a Getúlio Vargas, numa estrutura muito maior”.

Aos poucos, outras áreas também serão transferidas para a nova estrutura de 12 andares, segundo explica o administrador. “Aí depois serão outros serviços, como a UTI adulto, hemodinâmica, hemodiálise, cozinha, lavandaria. Já a torr de nove andares é para ambulatórios, serviços de consultório, administrativos”, destaca ele.

De acordo com Andrighi, esta é uma das maiores obras em hospitais em Santa Catarina. “É uma obra de porte grande. Estávamos, há poucos dias, na Secretaria de Estado da Saúde, e hoje é a maior obra que passou pela secretaria nos últimos anos para aprovação. Isso é, para nos, e para Concórdia, um marco importante”.

Atualmente, a unidade conta com mais de 100 médicos, um corpo de 600 colaboradores e 206 leitos de internação. Em uma atualização recente, os números apontam que o Hospital São Francisco contou, até 2017, com 14.479 internações, sendo 9.464 cirurgias, 3.291 internações clínicas, 1.723 nascimentos, 871.193 exames e terapias.

Cardiologia e oncologia

Na entrevista concedida às rádios Rural e 96, o administrador se mostrou confiante para o credenciamento da cardiologia pelo Sistema Único de Saúde, um pleito bastante antigo e reivindicado por várias camadas da sociedade. “Continuamos sonhando. O processo já está na Secretaria de Estado, aguardando posicionamento. Acredito que o processo do município está tramitando. O estado ainda está em fase de avaliação”.

Além disso, Andrighi disse que a situação da oncologia também poderá se tornar realidade em um segundo momento. “A situação da cardiologia está andando, temos uma grande chance de conseguir esse credenciamento. Mas não só na cardiologia. Também buscamos a habilitação da oncologia. Isso em um segundo momento”.

Isso mostra, conforme o administrador, a importância e o crescimento da unidade. “Hoje o hospital já saiu fora da caixa de Concórdia. O hospital atende todo o Alto Uruguai e meio oeste. É referência na área de ortopedia e traumatologia, também na rede cegonha. A gente não se limita mais apenas a Concórdia. Mas claro que o maior número é usuário de Concórdia”.







SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM