Rádio Rural AM 840

NOTÍCIAS


Estado

Presidente da ACCS repudia aumento do ICMS em SC

A medida terá impacto na economia catarinense com o aumento dos custos de produção

Por Luan de Bortoli
07/08/2019 às 06h49 | Atualizada em 07/08/2019 - 15h09

O governo do Estado de Santa Catarina não cumpriu a promessa feita aos deputados estaduais e aos empresários de suspender os efeitos dos decretos 1.866 e 1.867 até 31 de agosto. Desde o dia 1º de agosto, diversos produtos e serviços poderão ter aumento de preços em Santa Catarina porque passarão a vigorar alíquotas mais altas do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

A medida terá impacto na economia catarinense com o aumento dos custos de produção de grãos, leite e carne, a redução da produtividade média e a perda da competitividade dos produtos agrícolas catarinenses nos mercados nacional e internacional. A maioria dos Estados brasileiros mantém a isenção de impostos – especialmente o Paraná e Rio Grande do Sul – o que deixará o produto catarinense em desvantagem no mercado.

O presidente da ACCS, Losivanio Luiz de Lorenzi, em nome dos mais de 8 mil suinocultores do Estado, repudia o aumento do imposto, que penaliza fortemente o setor. “Está cada vez mais difícil trabalhar neste estado porque o setor político está cada vez mais onerando o setor produtivo catarinense. Nós sabemos de todas as dificuldades financeiras que o país e Santa Catarina atravessa, mas aumentar impostos não cria um problema maior. Nossos empresários deixam de investir aqui e vão comprar insumos de outras regiões do país com alíquotas diferenciadas”, protesta.

Fonte: ACCS





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM