Rádio Rural AM 840

NOTÍCIAS


Geral

Região vai receber Pesquisa Nacional da Saúde em setembro

Objetivo é saber como está a saúde e o acesso aos serviços da população.

Por Luan de Bortoli
28/08/2019 às 06h37 | Atualizada em 31/08/2019 - 17h50

A população da região, definida por amostragem, fará parte de uma ampla pesquisa sobre a situação da saúde no Brasil, onde poderá revelar os principais problemas que sofrem e o acesso aos serviços de atendimento. Esta é a Pesquisa Nacional da Saúde (PNS), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em quatro municípios da região.
 
A pesquisa vai começar a ser feita no mês de setembro, conforme explica o coordenador do IBGE de Concórdia, Roberto Thums. “É uma pesquisa por amostragem, então não serão todos os domicílios visitar. Aqui na região a gente destaca Concórdia, Ipumirim, Paial e Seara que terão locais de coleta Mais vai ter uma área significativa de colega em nossa região”, comenta.
 
Esta é a segunda edição da pesquisa. A primeira ocorreu em 2013, e visa uma investigação detalhada do tema, segundo explica o coordenador. “Vai fazer um levantamento da situação das pessoas com seu estado de saúde, e também aspectos relacionados ao acesso das pessoas. Então, de que forma estão realizando os tratamentos, onde elas buscam, se estão tendo acesso ou não”.
 
Em Concórdia e região, deverão ser dois pesquisadores a visitar as residências escolhidas pelo IBGE. Eles já começaram o treinamento. “Teremos essa semana de treinamento. O pessoal de todo o Oeste está em Concórdia. É um pessoal capacitado para a questão de abordagem. E com certeza, todo o entrevistador do IBGE estará identificado e vai explicar para as pessoas o objetivo da pesquisa”.
 
Ao todo, cerca de 1,2 mil entrevistadores do IBGE irão visitar, até fevereiro de 2020, mais de 108 mil domicílios distribuídos em 2.167 municípios do país. Os resultados devem começar a ser divulgados em 2021. A pesquisa é realizada em convênio com o Ministério da Saúde e em parceria com a Organização Internacional do Trabalho (OIT). 





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM