Rádio Rural AM 840

NOTÍCIAS


Geral

Preço médio dos combustíveis apresenta redução em agosto em Concórdia

Gasolina de Concórdia continua sendo a mais cara do Estado.

Por Luan de Bortoli
05/09/2019 às 06h39 | Atualizada em 05/09/2019 - 15h43


Pelo terceiro mês consecutivo, o preço dos combustíveis, em Concórdia, apresentou redução na média mensal, resultado de frequentes quedas anunciadas pela Petrobrás nas refinarias. São baixas bem sutis, mas que frearam o forte aumento que o produto vinha tendo. Os dados são da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para o mês de agosto.

Conforme levantamento, o preço médio da gasolina, no mês passado, foi de R$ 4,29, dois centavos a menos do que o valor em julho. Ainda assim, Concórdia tem a gasolina mais cara de Santa Catarina. O que chama a atenção é que Videira, a segunda cidade com o maior preço no Estado, tem uma média de R$ 4,13, ou seja, 16 centavos a menos. Foram consultados, em agosto, 24 postos pela ANP, onde os preços variavam de R$ 4,10 até R$ 4,39.

O etanol também apresentou queda na média de agosto e foi o responsável pela maior redução entre os três produtos. Ele chegou a R$ 3,70 de média no mês anterior, cinco centavos a menos do que em julho, segundo a ANP. Esta média coloca Concórdia no terceiro lugar do ranking do Estado. Foram pesquisados 12 postos, com preços entre R$ 3,55 e R$ 3,85.

Por fim, o diesel também teve uma baixa, mas bastante irrisória. Saiu de R$ 3,55, em julho, para R$ 3,54, em agosto. Um centavo de diferença. Com isso, o município tem a segunda maior média de preço do Diesel em Santa Catarina. Nos postos consultados pela agência, o produto variava entre R$ 3,34 e R$ 3,65.

Com frequência, o preço da gasolina, por exemplo, tem diminuído nas refinarias. Mas há algumas altas também. Tem havido uma compensação nas últimas semanas, o que confirma esta queda mais equilibrada no preço do produto. Os reajustes nos preços dos combustíveis pela Petrobras são alinhados ao mercado internacional do petróleo, seguindo os valores do petróleo Brent e ao câmbio. 





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM