Rádio Rural AM 840

NOTÍCIAS


Concórdia

Unidade da BRF em Concórdia programa transporte de água

E Casan lança comunicado pedindo "economia ao máximo".

Por Marcos Feijó
10/09/2019 às 10h18 | Atualizada em 11/09/2019 - 08h19


 
A falta de chuva na região do Alto Uruguai preocupa vários setores, desde o abstecimento potável na área urbana, passando pelo interior e produção industrial.  O Departamento de Jornalismo da Rural/96, por exemplo, soube que a unidade da BRF em Concórdia está programando o transporte de água para suas lagoas (em breve a empresa lançará nota). 

PREFEITURA (DEFESA CIVIL):
A Administração Municipal de Concórdia também começa a se mobilizar com, a possibilidade de levar água ao interior.  A Defesa Civil esteve reunida. Leia matéria do setor de comunicação:
"A precipitação de chuva tem sido abaixo da média nas últimas semanas, causando um cenário de estiagem na região, situação que preocupa, especialmente a atividade agrícola, além da falta para consumo doméstico. Por conta disso, nesta terça-feira, 10 de setembro, a Defesa Civil convocou uma reunião com o poder público para traçar estratégias de ação se essa condição persistir pelas próximas semanas.
Segundo Adilson de Oliveira, da Defesa Civil estadual, a previsão dos meteorologistas apontam que o cenário atual deve permanecer por 30 dias, pelo menos, devendo voltar a média normal de chuva na metade do mês de outubro. Com essa informação, a principal recomendação é o consumo consciente de água, evitando desperdícios.
Durante a reunião, o diretor do Departamento de Trânsito do município, Rudimar Vitto, informou que a empresa BRF fez um comunicado ao setor, de que até quinta-feira, 12 de setembro, vai começar o abastecimento da fábrica com carretas. Vão ser 36 carretas, com capacidade de 27 mil litros, transportando 216 cargas por dia. Toda a logística para o transporte de água vai impactar no trânsito da cidade e no trevo em frente a BRF “vamos ter um fluxo intenso de veículos pesados no centro da cidade, causando lentidão e possíveis congestionamentos”, comenta Vitto.
A situação é preocupante também para o setor agrícola, especialmente na criação de animais e nas plantações. Por isso representantes das secretarias de Urbanismo e Obras e Agricultura participaram da reunião. Gilberto João Chaves, da Defesa Civil municipal, explica que os dados levantados hoje serão documentados e encaminhados para a esfera estadual, que vão servir de base para solicitações futuras." 



CASAN:
Já manhã desta terça-feira (10) a Casan lançou um comunicado (leia abaixo), que pede "economia ao máximo" da água tratada enquanto perdurar a estiagem. 

"A CASAN COMUNICA À POPULAÇÃO DE CONCÓRDIA QUE A PROLONGADA ESTIAGEM REDUZIU DE FORMA ACENTUADA O VOLUME DOS RIOS QUE ABASTECEM A REGIÃO. O RIO SURUVI JÁ MOSTRA INCLUSIVE SUAS PEDRAS, DIFICULTANDO A CAPTAÇÃO DE ÁGUA PARA ABASTECIMENTO.
A COMPANHIA PEDE A COLABORAÇÃO DE TODOS, ECONOMIZANDO ÁGUA TRATADA AO MAXIMO ENQUANTO PERDURAR A FALTA DE CHUVAS.
POR FAVOR, NÃO LAVE CASAS, PATIOS E CARROS. DESLIGUE A TORNEIRA AO LAVAR A LOUÇA. SÓ ACIONE A MÁQUINA DE LAVAR QUANDO ESTIVER COMPLETA DE ROUPAS SUJAS".





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM