Rádio Rural AM 840

NOTÍCIAS


Geral

Sete meses depois, investigação de tragédia aérea ainda não encerrou

Queda de aeronave ocorreu no interior de Concórdia em maio deste ano.

Por Luan de Bortoli
09/12/2019 às 06h42 | Atualizada em 08/12/2019 - 22h01


Na última semana, a tragédia aérea que tirou a vida do empresário concordiense Odimar Roman, de 53 anos, completou sete meses. O fato aconteceu no interior de Concórdia. As causas oficiais para o acidente com o avião de pequeno porte, do tipo ultraleve, ainda são desconhecidas. As investigações prosseguem por parte dos Serviços Regionais de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA).

O órgão, que é subordinado ao Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) e à Força Aérea Brasileira (FAB), esteve em Concórdia no dia 4 de maio, um dia depois da tragédia, com dois investigadores para iniciar a apuração das causas do acidente. Até o momento, conforme o site oficial do órgão, a investigação não terminou e ainda não há prazos para a conclusão.

Conforme dados que constam no Sistema de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SIPAER), o status da investigação para a aeronave de matrícula PUPRI é Ativo, ou seja, que ela ainda segue sendo realizada. O tipo de investigação é Indeterminado, mas no detalhamento consta que o piloto realizava um voo local experimental, e, ao fazer uma curva para voltar à pista do Aeroporto Municipal, a aeronave colidiu no topo de algumas árvores, ficando destruída.

Na época em que o Seripa veio a Concórdia, o capitão Samuel, responsável pelo órgão, explicou à reportagem que investigação é complexa e detalhada, dependendo de materiais encontrados no local. Conforme o capitão, era possível que alguma das peças pudessem ser recolhidas e até enviadas para fora do país para passar por análises.

A tragédia aconteceu em Linha São Geraldo, distante cerca de três quilômetros do aeroporto, no dia 03 de maio, pouco antes das 19 horas. Conforme informações apuradas, o empresário havia adquirido o avião há poucos dias e fazia testes no aeroporto pouco antes de fazer um voo experimental. Roman perdeu a vida instantaneamente. Ele era o único ocupante.





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM