Rádio Rural AM 840

NOTÍCIAS


Geral

Fim da espera: Mais de um mês depois, haitianas vítimas de tragédia deverão ser sepultadas

Adolescente que sobreviveu chegou a Concórdia nesta quinta-feira.

Por Luan de Bortoli
16/01/2020 às 12h03 | Atualizada em 17/01/2020 - 08h37


Nem todas as vítimas da tragédia com um veículo que transportava haitianos de Concórdia foram sepultados, mesmo mais de um mês depois do acidente. O caso ocorreu no dia 09 de dezembro, na BR-282, em Pinhalzinho. Eles estavam em um Golf, com placas de Itá, mas residiam em Concórdia. Apenas uma pessoa sobreviveu. 

Dos quatro mortos, dois foram sepultado recentemente. Mas os corpos de uma mulher (43) e uma menina (11) seguiam em Chapecó aguardando o desenrolar burocrático, o que deve ocorrer nos próximos dias. Para liberar os corpos, era necessário alguém de parentesco próximo. Essa pessoa é o marido e pais das duas vítimas.

Conforme informações de Nahum Saint Julien, que atua na Pastoral do Imigrante, em Chapecó, o homem está no Haiti, para onde foi no fim do ano passado, e tentava recursos financeiros para conseguir voltar. Agora, com ajuda de moradores daquele país, ele conseguiu a ajuda para voltar ao país. O haitiano deve chegar até segunda, dia 20, quando os corpos deverão de liberados, e o sepultamento ocorrer.

Ainda segundo Nahum, o homem havia acabado de chegar no Haiti quando o acidente aconteceu, para visitar os parentes. Uma vez naquele país, ele iria esperar a esposa juntar um valor para que ele pudesse voltar a Concórdia neste início de ano. A secretaria municipal de ação social de Concórdia ajudará nos ritos do enterro dos dois. Ouça a entrevista logo abaixo.

A quinta vítima do acidente, um adolescente de 16 anos, que sobreviveu, apresentou boa recuperação nos últimos dias. Conforme informações do secretário de ação social, Jayme Bernari, no decorrer desta quinta-feira, dia 16, era esperava a vinda dele para Concórdia. Até então, ele estava internado no Hospital Regional do Oeste, em Chapecó.
 

Fonte: SERGINHO PRIMAM

Confira o áudio:






SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM