Rádio Rural AM 840

NOTÍCIAS


Estado

Preço da gasolina vai subir em Santa Catarina

O aumento é consequência da elevação do valor de alíquota de ICMS

Por Luan de Bortoli
02/02/2020 às 06h53 | Atualizada em 02/02/2020 - 06h23


O valor do litro da gasolina vai subir a partir deste sábado, dia 1 de fevereiro. A alta pode ser de 3 centavos por litro. O aumento é consequência da elevação do valor de alíquota de ICMS cobrado sobre os combustíveis por parte da Secretaria de Fazenda do governo do Estado e vários postos já avisam que vão repassar o custo. Em Joinville há 96 postos de combustíveis. O preço médio praticado nos estabelecimentos varia ao redor de R$ 4,25 a R$ 4,29, diz o Sindipetro, entidade representativa dos interesses da categoria.

Na contramão, a Petrobras já reduziu valores – cobrados das distribuidoras – duas vezes neste mês de janeiro. Em 14 de janeiro, a Petrobras reduziu o valor da gasolina e do diesel em 3%, e, novamente, no dia 24 anunciou nova queda, esta de 1,5% para a gasolina e de 4% no diesel. 

Mas as grandes distribuidoras - Raízen, BR e Ipiranga – não diminuíram o valor quando de negociações de venda com os postos, diz o Sindipetro.

Fazenda esclarece:

Em nota, a Secretaria da  Fazenda do governo do Estado afirma que o ICMS da gasolina no Brasil varia de 25% a 34%. 

 - Santa Catarina tem o menor percentual, de 25%, desde que o imposto foi criado, em 1988. O valor do ICMS dos combustíveis é definido pelo preço médio ponderado ao consumidor final, atualizado pela diretoria de administração tributária da Secretaria de Estado da Fazenda.

E segue: 

 - O cálculo é feito semanalmente, a partir da média de preços nos postos de combustíveis. Portanto, se houve aumento, é porque na pesquisa de preço a média estava maior que na semana anterior. A alíquota permanece a mesma, 25%.". 

Fonte: Diário Catarinense





01 COMENTÁRIO - Deixe também o seu Comentário



Alceu Matiollo comentou em 02/02/2020 as 12:20:05
Eu confesso que tinha uma espectativa diferente a respeito desse governador Moyses, esta sendo uma grande frustração em alguns aspectos, principalmente na questão macro economica, ou seja em total dissonancia com o governo federal, enquanto em brasilia buscam a redução de carga tributaria, inclusive o governo federal fez um apelo para a redução do icms, me vem o sr. moyses com essa proposta. O sr. esta na contramão de direção sr, governador.




VEJA TAMBÉM