Rádio Rural AM 840

NOTÍCIAS


Concórdia

​Sindicato protocola pauta e espera prefeitura para iniciar negociação salarial

Pedido é de quase 10% de reajuste.

Por Luan de Bortoli
13/02/2020 às 06h29 | Atualizada em 13/02/2020 - 08h45


O Sindicato dos Servidores Municipais de Concórdia e Região (SSMCR) aguarda a data para o início das rodadas de negociação salarial com a prefeitura de Concórdia. Na semana passada, em assembleia geral, os servidores da administração municipal aprovaram a pauta de reivindicações. O pedido de reajuste salarial ficou em 5% de ganho real mais a inflação, que é de quase 5%, totalizando aproximadamente 10%.

Ainda nas cláusulas financeiras, o sindicato pedirá à administração auxílio-alimentação de R$ 500,00 mensais, um abono de R$ 350,00 no mês de dezembro e ainda para aposentados e pensionistas seis abonos de R$ 150,00. A pauta foi protocolada no início desta semana pelo presidente do sindicato, Tayson Basseggio. Na assembleia, também foi eleita a comissão que irá participar do processo de negociação.

Agora, conforme o presidente, o sindicato aguarda a prefeitura. É a administração municipal que marca a data para o início das tratativas. A intenção é que isso já nos próximos dias e ainda no mês de fevereiro. "A data não existe ainda, mas a expectativa é que aconteça este mês. A administração está analisando a pauta. Provavelmente na próxima semana a gente já tenha uma rodada de negociação".

Ele explicou que as pautas normalmente se assemelham de um ano para o outro, mas algumas demandas novas surgem, especialmente envolvendo a área de medicina do trabalho. Na assembleia, também houve debate sobre horas extras, treinamentos para novos servidores, insalubridade, férias e situação de emergência, entre outros.

A tendência é que a negociação salarial comece com a discussão das cláusulas sociais, que costumam ser mais rápidas e sem polêmicas. Superada esta etapa, as comissões de negociação partirão para a discussão do reajuste salarial. "Durante uma negociação, sempre há divergências. Espero que elas fiquem no âmbito das negociações. Que a gente possa achar um denominador comum que favoreça aos trabalhadores".

"Temos mais duas assemelbeias agendadas na próxima semana, em Irani e Ipumirim, então vai ser um mês bastante corrido em relação às negociações, até porque é um ano eleitoral. E a gente pretende encerrar a negociação até dia 31 de março".

No ano passado, o sindicato havia pedido também 5% de aumento real mais a reposição da inflação do período. No entanto, o saldo final da negociação foi de  2% de ganho real, mais o INPC (inflação do período, que é 3,94%), totalizando 5,94% como reajuste salarial no exercício de 2019.





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM