Rádio Rural AM 840

NOTÍCIAS


Geral

BR-153, que passa por Concórdia, deverá ser leiloada no ano que vem

Ministério da Infraestrutura divulgou cronograma.

Por Luan de Bortoli
27/02/2020 às 06h28


O Ministério da Infraestrutura confirmou um cronograma de concessões de rodovias federais, que vai incluir a BR-153, que passa por Concórdia. Em publicação no site da pasta na semana passada, o Ministério informa que a rodovia deverá ser leiloada no ano que vem, em 2021, junto com outras vias, como BR-470/282. O cronograma vai até 2022.

Segundo o Ministério da Infraestrutura, a concessão de rodovias federais de Santa Catarina começou neste ano. O primeiro leilão já ocorreu. O trecho da BR-101, que passa pelo Estado, foi arrematado pela CCR S.A. O grupo venceu o certame, entre os municípios de Paulo Lopes/SC e a divisa com o estado do Rio Grande do Sul, e vai administrar a rodovia por um período de 30 anos. O valor da Tarifa Básica de Pedágio da empresa vencedora foi de R$ R$ 1,97.

Ainda em 2020, serão repassados à iniciativa privada os aeroportos Ministro Victor Konder, em Navegantes/SC, e Lauro Carneiro de Loyola, em Joinville/SC, durante a 6ª rodada de concessões aeroportuárias, com leilão previsto para o 4º trimestre do ano. No ano que vem, será a vez trecho da BR-153 que corta Santa Catarina, de Navegantes até a divisa com o Rio Grande do Sul, passando por Concórdia.

O pedágio desta rodovia é falado desde 2015. Ao longo desta meia década, o trecho foi colocado e tirado dos pacotes de concessões por diversas vezes. Há alguns anos, lideranças locais e representantes de entidades ligadas ao transporte foram até Brasília pedir para que a BR-153 entrasse no pacote. Mas sempre houve indefinições. 

Ao longo deste período, o grupo que defendeu a concessão alegava que o pedágio ofereceria melhorias à rodovia que passa por Concórdia, como uma necessária revitalização e duplicação. A grande dúvida é quanto ao valor que seria cobrado. Na época, a reclamação era de que a cobrança seria alta – de cerca de R$ 7,00.





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM