Rádio Rural AM 840

NOTÍCIAS


Região

Hidrelétrica de Machadinho suspende geração de energia pois reservatório “útil” é de apenas 2%

A hidrelétrica de Entre Rios do Sul parou as atividades. Itá opera com 13% da capacidade.

Por Ederson Vilas Boas
16/03/2020 às 06h47 | Atualizada em 16/03/2020 - 06h52


 
 
A hidrelétrica de Machadinho, no rio Uruguai, entre Piratuba e Maximiliano de Almeida-RS, que tem potencial instalado de 1.140 megawatts, não estava gerando energia na tarde da última sexta-feira, segundo informações do site da hidrelétrica. O motivo é que seu reservatório “útil”, ou seja, o que pode ser utilizado para geração de energia, está com apenas 2,09% do total.

A Engie, que administra a hidrelétrica, já havia informado em nota divulgada na quinta-feira, que poderia ocorrer a interrupção da geração, conforme programação do Operador Nacional do Sistema Elétrico, que é o órgão responsável pela coordenação da geração e transmissão de energia elétrica no Brasil.

Em outra hidrelétrica administrada pela Engie, a usina no rio Passo Fundo, em entre Rios do Sul-RS, também suspendeu a geração nesta semana.

Já a hidrelétrica de Itá, também da Engie, está gerando normalmente, mas geralmente com menos de 200 megawatts, o que representa 13% da capacidade máxima da hidrelétrica, que é de 1.450 megawatts. Isso representa quase metade da demanda de energia de Santa Catarina. No entanto o reservatório, que é no rio Uruguai, está se mantendo em bom nível, com 82% da capacidade.

Em nota a Engie afirmou que a bacia do Rio Uruguai, assim como toda a região Sul, vem passando por uma estiagem severa, o que impacta na quantidade de água disponível para a geração contínua nas hidrelétricas.

“Como forma de preservar o volume de água armazenada nos reservatórios das usinas da bacia, o Operador Nacional do Sistema – ONS, vem programando uma série de operações especiais de controle, durante os fins de semana e feriados, quando o consumo de energia é menor. Essa operação também visa aumentar a transferência de energia de outras regiões para a região sul e assim garantir o suprimento de energia elétrica, enquanto preserva os estoques de água para o caso de eventual contingência”, explica a nota da Engie.

Na Hidrelétrica de Foz do Chapecó, também no rio Uruguai, entre Alpestre-RS e Águas de Chapecó, a geração foi suspensa no final de semana passado e, durante a semana, tem gerado energia durante o dia e suspendido durante a madrugada, segundo informações da Foz do Chapecó Energia S. A. A hidrelétrica tem potência instalada de 855 megawatts, o que dá 25% da demanda de Santa Catarina.

Em Itapiranga o Rio Uruguai, que em janeiro teve um nível médio entre 80 e 90 centímetros, segundo os bombeiros, estava abaixo de 40 centímetros na última semana, quando a barca que faz a travessia entre Itapiranga e Barra do Guarita-RS, encalhou.

A estiagem também afeta o abastecimento em Águas Frias, que recebe 50 mil litros por dia do município vizinho de Nova Erechim, em caminhão-pipa da Casan. Em Seara e Concórdia propriedades do interior estão recebendo água para consumo humano e animal.

Na próxima segunda-feira a Defesa Civil de Concórdia terá uma reunião com a prefeitura para decidir se é o caso de decretar situação de emergência. A prefeitura já transporta 220 mil litros por dia, para 40 propriedades , e está no limite da capacidade.

Fonte: Darci Debona/DC





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM