Rádio Rural AM 840

NOTÍCIAS


Região

Governador autoriza projeto para restauração da SC-150 entre Capinzal e Piratuba

Reivindicação antiga na região.

Por Marcos Feijó
29/05/2020 às 17h44 | Atualizada em 30/05/2020 - 14h41

Com investimento de mais de R$ 560 mil, o governador Carlos Moisés autorizou nesta sexta-feira, 29, a elaboração do projeto executivo da obra de restauração da SC-150, trecho que liga Piratuba e Capinzal, no Meio-Oeste. Esta etapa é imprescindível para que o Estado possa realizar as melhorias necessárias à rodovia. A empresa responsável poderá iniciar os trabalhos imediatamente e tem prazo de 360 dias para concluir o serviço.

O governador ressaltou que mesmo com o enfrentamento da pandemia, o Estado segue com as obras que trazem melhorias para a vida das pessoas. “Estamos focados na missão de salvar vidas e na gestão da pandemia, esta é nossa prioridade, mas, sempre que possível, estaremos presentes, trazendo ações e a mensagem de otimismo que vai dando força ao processo de retomada. Santa Catarina sairá na frente, não tenho dúvidas”, afirmou Carlos Moisés.

O secretário de Estado de Infraestrutura e Mobilidade, Thiago Vieira, destacou que o projeto não trata apenas da restauração, mas contempla uma série de melhorias ao longo do trecho. “Outro ponto importante é que chegamos a um custo 43% menor do orçamento inicial, ou seja, estamos investindo numa prioridade da região com a valorização do recurso público”, frisou.

O ato de assinatura ocorreu na Unoesc de Capinzal, respeitando as regras de distanciamento social e limite de público. Também participaram da reunião, o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, o subchefe da Casa Civil, Juliano Chiodelli, os deputados Romildo Titon e Altair Silva, além de prefeitos da região.

Benefício para os municípios:
O prefeito de Capinzal, Nilvo Dorini, disse que o município será diretamente impactado com uma nova logística de infraestrutura que contempla também a obra de recuperação da rodovia entre Jaborá e Ouro, praticamente concluída. “É essencial para o bom desempenho das nossas atividades econômicas, tenho certeza que os municípios da nossa região passarão a viver uma nova fase de expansão e desenvolvimento”, destacou.
Da mesma forma, o prefeito de Piratuba, Olmir Benjamini, acredita que a obra é fundamental para o município de vocação turística. “Muita gente deixa de visitar Piratuba por causa das condições dessa rodovia, o turismo depende muito de boa infraestrutura. Depois de tanto tempo de descaso, reacende a nossa esperança de que a obra poderá ser uma realidade”, comemorou.

O Projeto:
O trecho da SC-150 que será restaurado tem extensão de 25,2 quilômetros, entre Capinzal e Piratuba, e pegando o entroncamento da SC-467, sentido Zortéa, e o entrocamento da SC-390 – trecho Piratuba. 

O projeto da SC-150 prevê:
Reforma da ponte Arroio da Vila, com inclusão de passeios laterais;
2,5 km de tratamento de travessias urbanas;
Estudo da inclusão de aproximadamente 10 quilômetros de faixa adicional na rodovia;
Estudo de adequações nas interseções ou implantação de novas interseções.

Comunidade comemora:
Importante via para o escoamento da produção de leite, suínos e grãos, a SC-150 também é fundamental para o turismo da região Meio-Oeste, já que dá acesso a um dos principais balneários de água termal do Estado, em Piratuba.Produtores rurais, como Gilnei Dias do Amaral, comemoram o anúncio do Governo do Estado para o projeto de recuperação da rodovia. Ele tem a propriedade ao lado da SC-150 e conta que, com frequência, acaba socorrendo outros usuários da via com problemas nos veículos. “É um trecho com muito buraco, toda hora alguém bate aqui pedindo ajuda para chegar até a cidade e trocar um pneu ou consertar o carro”, relatou. Assim que ficou sabendo que o projeto da obra de restauração da rodovia foi autorizado pelo Governo do Estado, Gilnei se disse otimista com as oportunidades que poderão surgir no futuro. “Essa obra pronta será um sonho realizado. Ela vai trazer mais segurança, conforto e a chance de uma vida melhor para todos nós”, disse.

Fonte: SECOM






SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM