Rádio Rural AM 840

NOTÍCIAS


Geral

“A suinocultura não é para amadores”

A afirmação é do suinocultor e vice-presidente representativo da ACCS, Marcos Spricigo.

Por Ederson Vilas Boas
10/07/2020 às 10h41


O suinocultor e vice-presidente representativo da Associação Catarinense de Suínocultura, Marcos Spricigo fez uma avaliação da suinocultura nos últimos meses e também faz projeções acerca da atividade.

Em entrevista para a equipe de jornalismo da ACCS, Sprícigo que também é presidente do Núcleo de Videira, destaca que se os produtores independentes quiserem se manter vivos precisarão trabalhar unidos através das associações. Caso contrário, o modelo de negócio está fadado ao fracasso.  

Em uma frase mais forte, falou que "a suínocultura não é para amadores". Acompanhe a entrevista:
 

"Nós tivemos um ano de 2019 excelente na suinocultura, iniciamos bem 2020 até o início da pandemia de Coronavírus. De março até julho enfrentamos muitas dificuldades para tentar ajustar o mercado. A nossa expectativa para o resto do ano é de reversão do mercado interno e recuperação de preços ao menos para nós sairmos do prejuízo. Depois da pandemia começamos a trabalhar no vermelho porque os custos subiram muito. Todas as cotações são baseadas no dólar, que permaneceu nesse tempo todo bem acima dos R$ 5. É por essa razão que o suinocultor ficou numa situação crítica. A expectativa é que até o fim do ano o setor consiga ter uma pequena margem de lucro, mas 2020 ficou comprometido para o suinocultor".

"Outro fator que chama atenção foram as exportações, que foram excelentes e o dólar contribuiu muito para o triunfo das exportações. O mercado interno teve os seus percalços sim, mas é estranho que antes da pandemia nós estávamos com o preço de praticamente R$ 6 o quilo do suíno, deu o coronavírus caiu para R$ 3, temos relato de produtores com um pouco de represamento mas não muito. Ficamos sem entender porque a queda tão grande do valor do suíno".

Analisamos que em épocas boas o produtor aumenta o plantel e até mesmo profissionais de outros setores de fora do agronegócio investem na suinocultura. Qual a sua opinião?

"A suinocultura é uma caixinha de surpresas. No início do ano falávamos que 2020 seria excepcional impulsionado pelas exportações para a China. A projeção era de que teríamos pelo menos três anos positivos, mas na realidade tivemos apenas um 2019 bom. Mesmo assim sequer conseguimos pagar as contas dos prejuízos passados.

A suinocultura não é para amadores. Ela não é uma atividade para profissionais liberais que de repente estão com uma sobra de dinheiro e querem investir. Se você está nesta situação se prepara porque a suinocultura é um setor de alto risco. Esteja preparado para perder dinheiro e ganhar com conversão alimentar e boas negociações".

Qual a importância dos produtores independentes se unirem através das associações?
 

Nós percebemos que o modelo trabalhado até então, sem decisões coletivas está fadado ao fracasso. Hoje nós precisamos nos organizar com associações para que consigamos disputar o mercado. A gente vê que os produtores em momentos bons ele tenta nadar sozinho. Quando a situação é ruim todos pedem socorro para as associações. Está na hora de aprendermos com o passado e nos unirmos. Não podemos ficar isolados tentando encontrar uma negociação melhor e ganhar dinheiro sozinho. Essa soma de forças se dá através das associações estaduais formando equipes de consenso de vendas. Hoje temos a bolsa de suínos unificada, que já teve resultados positivos.


Fonte: Tiago Rafael/ACCS





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM