Rádio Rural AM 840

NOTÍCIAS


Estado

"Não houve derrota total", diz governador de SC sobre afastamento de até 180 dias

Moisés já falou com a vice sobre a transição.

Por Marcos Feijó
25/10/2020 às 07h57 | Atualizada em 25/10/2020 - 15h20

Alvo de um processo de impeachment, o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL),  disse que o afastamento do cargo por até 180 dias não é "uma derrota total". Ele afirmou ainda que não acredita no "afastamento definitivo". — Entendemos que não houve uma derrota total — afirmou durante coletiva de imprensa neste sábado (24),  na Casa D'Agronômica.  — Nós acreditamos no arquivamento definitivo — completou.

Na sessão do Tribunal Especial de Julgamento, que começou ainda na manhã de sexta-feira e durou 15 horas, foram seis votos a favor do recebimento da denúncia contra o governador e quatro contra.  Moisés acredita que, com esse mesmo resultado, de seis a quatro, ele não será afastado em definitivo pelo Tribunal Misto. 

— Acreditamos na manutenção desses votos pelo Poder Judiciário catarinense, que foi absolutamente independente — afirmou.
O governador também disse que já conversou com a vice-governadora, Daniela Reinehr, sobre a transição da gestão do Executivo Estadual. Os secretários de Estado e integrantes de primeiro escalão já realizam reuniões com ela, durante o final de semana, para garantir que os projetos e ações não sofram interrupção. 

O processo

Aprovado no plenário da Assembleia Legislativa (Alesc) em 17 de setembro, o pedido de impeachment tem como justificativa uma suspeita de crime de responsabilidade cometido ao ser dado aumento salarial aos procuradores do Estado, por meio de decisão administrativa, com o intuito de equiparar o salário deles aos dos procuradores da Assembleia. O reajuste ocorreu no ano passado. 

Com a denúncia contra Moisés sendo aceita, será instaurado um julgamento contra ele, que deverá ser realizado em até 180 dias, pelo mesmo Tribunal Especial. Se for ultrapassado esse prazo, o governador volta ao cargo. Se for condenado no julgamento, ele perde o mandato de forma definitiva. 

Fonte: GAUCHA ZH





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM