Rádio Rural AM 840

NOTÍCIAS


Coronavírus

Saiba o que muda na Amauc com a nova classificação do coronavírus

Uma das principais diferenças é a prova de roupa em lojas.

Por Luan de Bortoli
29/10/2020 às 06h13 | Atualizada em 29/10/2020 - 18h11


Como a reportagem da emissora já informou, o Alto Uruguai Catarinense, depois de dez semanas, mudou de classificação, deixando o nível grave e indo para o alto, o que representa uma melhora na situação da doença. Isso já era esperando pelas prefeituras da Amauc há, pelo menos, um mês, por conta da redução nos números da covid-19 desde setembro.

A mudança na classificação acarreta também em algumas alterações no que diz respeito a autorizações do que pode e do que não pode ser feito de acordo com os protocolos de saúde. O novo nível de risco permite algumas liberações à região, como é o caso do retorno das aulas na rede estadual, começando pelo ensino médio, para atividades de reforço.

De acordo com as regras idealizadas pelo governo do estado, eventos sociais, aqueles que não cobram ingresso, como casamentos, aniversários, jantares, confraternizações, bodas, formaturas, batizados e festas infantis, estão autorizados, desde que o espaço tenha limite de ocupação de 40% da capacidade máxima.

Entre as diversas regras para que o retorno destes eventos ocorram estão o uso de máscara, álcool em gel em pontos estratégicos, distanciamento de 1,5m (exceto para pessoas que moram na mesma casa), lixeiras com pedal e ventilação constante no ambiente.

Cinemas e teatros podem abrir nas regiões de risco alto desde que controlem a quantidade de público (50%) e sigam as orientações sanitárias descritas na portaria estadual. Outra mudança significativa é a permissão para prova de roupas no comércio. Porém, é necessário uso de máscara, controle de acesso aos provadores para que não haja aglomerações e o distanciamento mínimo (1,5m) precisa ser respeitado. 

Álcool em gel deve ser disponibilizado aos clientes e o ambiente precisa ser constantemente higienizado. Além disso, é preciso limpar as roupas após cada prova ou devolução com “passadeira a vapor ou assegurar o período mínimo de aeração de 48 a 72 horas”, diz a portaria estadual.

Com os devidos cuidados sanitários, os museus podem receber visitantes, desde que o limite não ultrapasse um terço da capacidade de lotação (incluindo funcionários). A recomendação é que haja agendamento para visitação. As academias de ginástica, musculação, crossfit, danças, natação, hidroginástica e etc, que já estão funcionando, têm a permissão de funcionar com um limite maior: a taxa passa a ser 70% do limite. 

Assim como as academias, o funcionamento de hotéis já é permitido em todas as classificações, mudando apenas a capacidade de ocupação. No caso do risco alto, o limite agora é de 80%. Já quanto à indústria, diferente das regiões de risco grave, que exigem capacidade de ocupação em 70%, as de risco alto não têm essa limitação. O distanciamento mínimo de 1,5m e outros cuidados, porém, continuam vigentes.

Shoppings, centros comerciais e galerias funcionam normalmente, sem limitação de público e horário. Regras sanitárias continuam vigentes. Há ainda portarias específicas para funcionamento de bibliotecas, congressos, palestras, feiras e exposições.





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM