Rádio Rural AM 840

NOTÍCIAS


Estado

Ex-deputado estadual Admir Bortolini morre aos 74 anos em Florianópolis

Ex-parlamentar e engenheiro agrônomo, concordiense, morreu na noite deste sábado, vítima de câncer.

Por Luan de Bortoli
07/02/2021 às 14h20 | Atualizada em 07/02/2021 - 15h19


O ex-deputado estadual e engenheiro agrônomo Admir Áureo Bortolini, morreu aos 74 anos, na noite de sábado (6), em Florianópolis, vítima de câncer. O velório começou às 11h30 deste domingo (7), na capela do Crematório Vaticano e o sepultamento irá ocorrer às 13h30.

Nascido em Concórdia, Bortolini se formou na Universidade Federal de Pelotas (RS). O envolvimento com as atividades agrícolas na região o levou a entrar para política nos anos 1970. Em 1975, elegeu-se vereador no município do Oeste catarinense, cargo no qual permaneceu até 1982.

Segundo a Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), Bortolini candidatou-se em 1982 a deputado estadual pelo MDB e conquistou uma cadeira na Casa com 22.082 votos. Na eleição de 1986, obteve 14.582 votos e ficou na condição de suplente, mas foi convocado e exerceu o mandato de novembro de 1988 a janeiro de 1991, participando da elaboração da Constituição Estadual de 1989. Bortolini foi autor de 13 emendas à Constituição, sendo oito delas relacionadas à agropecuária.

Nas eleições de 1994, permaneceu como suplente do MDB. De 1994 a 1998, foi assessor técnico do Fundo de Terras de Santa Catarina (Funter). Desde então, Bortolini não disputou mais eleições e passou a se dedicar ao cargo que mantinha na Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri).

O ex-parlamentar era casado e tinha três filhos, entre eles o atual presidente da Associação de Delegados de Polícia do Estado de Santa Catarina (Adepol-SC), Rodrigo Falck Bortolini. A associação emitiu uma nota de pesar lamentando a morte e o filho se manifestou por meio das redes sociais.

"Em nome de minha família, agradeço o apoio recebido de todos neste momento tão doloroso", escreveu o filho Rodrigo.

Fonte: G1 SC





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM