OPINIÃO


LUAN DE BORTOLI




Dias difíceis virão!


Façamos nossa parte antes que o pior aconteça - de novo.

Adicionado em 14/01/2022 às 14:49:08

Pelo terceiro ano seguido, a mesma situação se repete. Ele começa e junto chega o coronavírus, pronto para bagunçar tudo de novo. Seria difícil prever, embora cientistas já alertassem e os outros países servissem de exemplo, que veríamos novamente números da covid-19 tão altos e um crescimento tão rápido, como estamos testemunhando.

O que se projeta para as próximas semanas é um cenário nebuloso em relação à pandemia. A tendência é de uma piora acentuada nos casos em todo o país. Os números, que já são altos, deverão aumentar ainda mais. Atualmente, por falta de testes, não é possível saber a quantidade real de novos casos, mas profissionais da área garantem que é muito maior do que este registrado oficialmente até agora.

A responsável, é claro, é a ômicron, nova variante do coronavírus. Mas tivemos alertas, tivemos exemplos. A nova cepa surgiu em outros países e mostrou do que era capaz ainda em novembro do ano passado. Por aqui, relaxados nas medidas sanitárias, não demos a devida atenção. As festas de fim de ano, e, principalmente, as férias na praia ou em grandes centros, deram o tom para um início de ano de más notícias.

É bem verdade que a nova variante, até agora, não se desenha como grave. Mas pouco se sabe de fato sobre ela. A tendência é que ela não hospitalize ou mate tanto. Mas é verdade também que em outros países, cujo onde ela já passou, os números de internações e óbitos teve um relativo crescimento.

Então, todo cuidado é pouco. Façamos nossa parte, reforçamos nossas medidas de segurança. Mesmo que novas medidas restritivas não sejam impostas, agimos como se estivessem aí. Usemos máscaras - duas, três se preciso. Álcool em gel em dobro. E deixemos de lado, definitivamente, aglomerações desnecessárias. 

Afinal, por falta de aviso não é.



SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR





VEJA TAMBÉM