OPINIÃO


LUCAS VILLIGER




​A cruz continua sangrando


Pelo menos 50 católicos foram mortos em atentado na Nigéria.

Adicionado em 09/06/2022 às 08:42:12

Mais um massacre em um Igreja Católica. Desta vez, o palco do mar de sangue foi a Paróquia São Francisco Xavier, na cidade de Owo, na Nigéria. Segundo a agência Open Doors, o país africano está em sétimo lugar na lista de nações que mais perseguem os cristãos no mundo. 

Já falei em outro artigo sobre o constante e gradual crescimento da perseguição dos cristãos. Seja por preconceitos, censura, violência e assassinato. E assim mais um episódio dramático aconteceu, dessa vez durante a Missa de Pentecoste, que é celebrada 50 dias após a Páscoa do Nosso Senhor.

Durante a celebração religiosa, um grupo de terroristas armados investiram contra os fiéis, fazendo pelo menos 50 vítimas fatais, incluindo crianças. O país sofre com a ação de grupos radicais islâmicos que perseguem cristãos. Na Nigéria, como em outros países africanos, infelizmente ser cristão é um risco. Praticar e defender a fé é uma atitude de coragem e entrega. 

Porém, o presidente da Nigéria, Muhammad Buhari, que professa a fé islâmica, lamentou e condenou duramente o ataque. “Este país nunca se renderá ao mal e aos ímpios, e as trevas nunca vencerão a luz”, enfatizou Buhari. O papa Francisco, por sua vez, reza pelo país e pelas vítimas, conforme a nota publicada pelo Vaticano. “O pontífice reza pelas vítimas e pelo país, dolorosamente atingido em um momento de festa, e confia ambos ao Senhor, para que envie o Seu Espírito para que os console”, publicou a Santa Sé.

Como católico e jornalista, me entristece esse tipo de notícia ter tão pouca repercussão na mídia internacional, como também as inúmeras pessoas que fingem que esse problema não acontece em nosso país. Não só acontecem como vêm crescendo de maneira tímida, porém visível. Invasões de Igrejas e desrespeito com símbolos religiosos são cenas comuns de encontrar. Aliás, os evangélicos protestantes são cada vez mais alvos de ridicularização e preconceito por certos grupos da sociedade. E o pior de tudo é que esse tipo de preconceito parece que é “permitido” pela sociedade atual. 

Pentecostes

A Missa de Pentecostes representa o dia que o Espírito Santo desceu do céu em forma de língua de fogo sobre a Virgem Maria e os apóstolos de Jesus Cristo. O acontecimento reflete o início da Igreja, pois trata do envio dos apóstolos para uma atividade missionária de evangelização. As vítimas de domingo já estão ao lado de Deus, pois morreram defendendo sua fé, sendo assim foram martirizadas. 

Assim, para nós, cristãos, não podemos desanimar da nossa fé. O pastor Josemar Bessa disse o seguinte: “Daniel preferiu passar uma noite na cova dos leões, do que um dia sem orar”. Seguiremos o exemplo de Daniel, mesmo diante de perigo, jamais deixaremos de professar nossa fé e levar a Palavra de Deus para o mundo.

Por fim, rezemos por todas as almas que se foram e principalmente para que Deus possa confortar a família dos que morreram nesse fatídico dia. Assim, termino esse texto com as sábias e corajosas palavras de Santo Agostinho.

“Senhor, é duro Te seguir, mas é impossível Te deixar” Santo Agostinho
 
* Lembrando sempre que eu não falo em nome de nenhuma instituição, tampouco em nome de nenhuma religião. Essa é uma opinião jornalística baseada em meus estudos sobre os temas relacionados, diferentes interpretações podem e devem surgir a partir desta pauta. 





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR





VEJA TAMBÉM