OPINIÃO


LUCAS VILLIGER




​Não deixe as eleições afetarem seu círculo de amigos


Eleição é a cada quatro anos, amizades são eternas

Adicionado em 16/06/2022 às 10:39:35

“Espero que jamais chegue um tempo sombrio no qual as diferenças políticas se tornem pessoais” - G. K. Chesterton

Abro mais um artigo com uma reflexão de Chesterton. O autor desta vez fez uma premonição do que aconteceria no futuro, do que já acontece hoje. Polarizações sempre existiram na história da humanidade, na Revolução Francesa as diferenças ficaram mais nítidas. 

Os Girondinos e Jacobinos foram os dois grupos que ocuparam a Assembleia Nacional Constituinte no final do século XVIII. Os Girondinos, mais moderados e conservadores, ocuparam o lado direito Assembleia, enquanto os Jacobinos, mais radicais e revolucionários, ficaram do lado esquerdo. Assim, a França pautou o que seria o cenário político por décadas e décadas. 

Ainda hoje, nossa sociedade, no mundo inteiro, se divide entre Direita e Esquerda. A Direita acompanha um discurso conservador nos costumes e muitas vezes com uma linha econômica liberal capitalista. Por sua vez a Esquerda se representa por discursos de ruptura dos costumes atuais e um pensamento econômico pautado no socialismo. 

No Brasil, as eleições se aproximam. Desta vez o embate será entre o atual presidente da república, Jair Messias Bolsonaro, e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em 2018 os ânimos dos eleitores estavam nas alturas, com gigantes manifestações a favor do Bolsonaro, como também contra. 

Porém, as diferenças devem ficar somente nas ruas e nos cartazes. Não há nada de errado em ter familiares, amigos e colegas que pensem diferente de você. Diferenças políticas sempre existiram, porém isso não impede que você se relacione com seja quem for. O respeito sempre é fundamental. 

Lembre-se sempre: odeie ideias e não pessoas. A mão estendida para te ajudar em uma situação pode ser vermelha ou verde e amarela. Você pode precisar chorar no ombro esquerdo ou direito de alguém. Não julgue a pessoa através de seus ideais políticos, mas sim pelo seu caráter, por suas ações e principalmente por como essa pessoa te trata. 

Deixe de lado os discursos vazios como “Se votou no Bozo, nem fale comigo”, “não falo com esquerdopata”, “se fere minha existência serei resistência”, “não quero contato com petista ladrão”. Isso tudo afasta e cria atrito.

Às vezes você nem conhece a pessoa e já julga segundo a opinião política dela. Faça uma experiência, saia com alguém que você não conhece, converse sobre tudo com essa pessoa e por fim peça a ideologia política dela. Tenho certeza que você irá se surpreender. 

Há pessoas incríveis de ambos os lados, assim como há pessoas ruins em ambos os lados também. A bondade e a maldade não estão no partido político, mas sim no coração de cada um. Não se deixe pautar por rótulos, você pode perder grandes amizades por conta de um preconceito que não leva a nada. 

Lembre-se, é muito difícil você fazer as pazes com um amigo que você rompeu relações por conta de política. Por outro lado, em um jantar, políticos “arqui-inimigos” viram “amigos” em um estalar de dedos. Exemplo atual: Lula e Alckmin. 

Por fim, te peço, essas eleições serão agitadas, mais intensas do que as de 2018. Não deixe as urnas pautarem seu círculo social e tenha certeza de uma coisa: quem estará com você em um momento difícil é sua família e seus amigos. Jamais será um político. 
 

Foto: Nas eleições de 2018, casal chama atenção em álbum de fotos. A professora de história Ana Carolyne e o servidor público Emannuel Ferreira fizeram fotos com a temática de seus candidatos, mostrando que a diferença política não interfere no relacionamento. (HY Fotografias)




SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR





VEJA TAMBÉM