Rádio Rural

NOTÍCIAS


Caminhoneiros

Altas consecutivas do óleo diesel preocupam setor do transporte

Presidente do SETCOM afirma que os custos da atividade ficaram encarecidos.

Por Rafael Martini
19/02/2021 às 06h25 | Atualizada em 19/02/2021 - 07h30


As incertezas sobre o preço dos combustíveis e o valor dos fretes preocupam os transportadores e caminhoneiros em Concórdia e região. Atualmente, o setor procura desenvolver estratégias para evitar perdas em tempos de baixa rentabilidade e altos custos. De acordo com o presidente do SETCOM – Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas do Oeste e Meio Oeste Catarinense, Ederson Cesar Vendrame, a preocupação do setor é grande. "Os últimos aumentos tem nos deixado bastante preocupados e, principalmente assustados. Pelo volume do aumento, temos valores de reajustes superiores a 20%. Isso encarece muito a nossa atividade, em contrapartida, não temos este repasse no valor do frete", afirmou Vendrame.

A política da Petrobras de revisar os preços dos combustíveis de acordo com o mercado internacional preocupa o setor de transportes na região. Para o presidente do SETCOM, a Petrobras, por ser a única empresa que explora o petróleo no Brasil, o preço acaba sendo de acordo com o interesse da estatal. "A Petrobras é a única que explora o petróleo no país. Então, ela cobra o preço que ela quer, e isso acaba sendo um grande dificultador", relatou Ederson.

Enderson Vendrame disse que o governo federal tem tentado reduzir os tributos sobre o combustível, discutindo com os estados, buscando alternativas, mas a politica de elevação nos preços e o monopólio de mercado acaba dificultando a redução." A Petrobras tem atuado muito mais para os 49% do setor privado do que, para os 51% do setor público", declarou Vendrame.

O presidente do SETCOM, defende a ideia da abertura de mercado dos combustíveis, e citou como exemplo, o mercado de telefonia. Ederson acredita que a concorrência faria o preço do oléo diesel diminuir."Ultimamente, temos atuado de forma mais macro. Defendemos a abertura do mercado de combustíveis, como aconteceu com as operadoras de telefonia. Agora, isso é uma briga que a gente não pode comprar e nem tocar sozinhos, mas estamos iniciando ela", anunciou o presidente.

Se não bastasse todas as dificuldades que o setor vem enfrentando nos últimos anos, a Petrobras acabou de anunciar mais um reajuste de 15,2% no diesel e 10,02% na gasolina, nesta quinta-feira(18).





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM