Rádio Rural AM 840

NOTÍCIAS


Economia

​As expectativas do comércio para a Páscoa

Em meio a crise da Covid-19, lojistas apostam na data para melhorar receita.

Por Lucas Villiger
02/04/2021 às 08h11 | Atualizada em 02/04/2021 - 09h48

Entrando no segundo ano de pandemia, os lojistas ainda se desdobram diante das dificuldades para manter seus negócios e os empregos de seus funcionários. A Covid-19 já tirou a vida de mais de 300 mil pessoas no Brasil, como também causou uma grande crise econômica. E como toda crise, as pequenas empresas são as que mais sentem o impacto.

Dentro desse período, a aposta para gerar receita é nas datas comemorativas, onde a procura por produtos é maior. Com isso, nesta semana que antecede a Páscoa, os lojistas estão otimistas com o período. Concórdia não fica atrás, as pequenas empresas da cidade esperam que esse ano seja melhor do que 2020.

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Concórdia (CDL), Gabriel Sabino, comenta sobre as expectativas para a Páscoa. “Nós temos aí uma data especial que é a Páscoa, é uma data que fomenta bastante o comércio e nos últimos anos ela vem atingindo todos os setores”, explica. “E a CDL vem trabalhando bastante essa data especial para fomentar o comércio, principalmente nesse momento que estamos passando, nessa pandemia onde diminuímos as vendas, onde os empresários estão se reinventando de tempo a tempo, e nessas datas comemorativas trazem esperança para eles poderem vender mais”, completa Gabriel.

Gabriel também afirma que o comércio está preparado para receber seus clientes com segurança. “Nós sempre falamos que nossos empresários e lojistas estão bem preparados, seguindo todos os protocolos, tudo bem organizado”, salienta. “O foco é proporcionar segurança para nossos clientes e isso nos deixa felizes, Concórdia queira ou não queira é uma referência nesse ponto”, finaliza Gabriel.

A CDL também ressalta que nesse momento a comunidade precisa se unir, para todos saírem dessa crise juntos. A população concordiense pode ajudar as pequenas empresas comprando nos comércios locais, pois são os que mais precisam nesse momento.





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM