Rádio Rural

NOTÍCIAS


Saúde

Vacinação da gripe começou nesta segunda em Concórdia; veja orientações

Público-alvo deverá respeitar intervalo entre vacinas da gripe e covid.

Por Luan de Bortoli
12/04/2021 às 06h33 | Atualizada em 12/04/2021 - 15h26


Inicia nesta segunda-feira, dia 12, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, o vírus da gripe, em todo o país. O período da imunização vai até 9 de julho. O público-alvo é estimado em 79,7 milhões de brasileiros, e a meta do Ministério da Saúde é vacinar pelo menos 90% dos grupos prioritários. As equipes de saúde de Concórdia já estão prontas para a campanha.

Conforme a secretária municipal de saúde, Leide Mara Bender, o primeiro grupo imunizado será de crianças de seis meses até cinco anos e onze meses e gestantes. De acordo com ela, a vacinação será nos postos de saúde, e há uma orientação para que a população-alvo da campanha procure a unidade mais próxima e evite aglomerações.

“No primeiro momento, vamos seguir como foram nas etapas anteriores. Vamos descentralizar nos postos de saúde. Então, pedimos que cada pessoa que vai receber a vacina procure o posto mais próximo, que tenha sala da vacina, veja o horário que funciona, e vamos ter também na Unidade Sanitária, mas pedimos que não tenha aglomeração”.

A vacinação neste ano vai coincidir com a campanha de imunização contra o coronavírus. Por isso, é preciso de mais atenção por parte da população. Entre as recomendações, está um cuidado com o período da imunização, que deve respeitar um prazo entre uma vacina e outra, informa a secretária.

“Essas vacinas não podem ser próximas uma da outra. Tem que ter uma intervalo mínimo de 15 dias. É importante que os idosos, as pessoas que vão ser beneficiadas, prestem atenção, tanto na primeira dose quanto na segunda dose”, destaca Leide Mara Bender.

O governo federal recomenda que as pessoas que fazem parte do grupo prioritário tomem primeiro a vacina contra a Covid-19 e depois a vacina contra a gripe. De acordo com Leide mara, as doses serão recebidas aos poucos. Não há informação do total de imunizantes até o fim da campanha, mas a quantidade deve ser de em torno de 19 a 20 mil, parecido com o ano passado.

Os grupos prioritários serão distribuídos em três etapas, de forma escalonada. Neste ano, a vacinação vai começar por crianças, gestantes, puérperas, povos indígenas e trabalhadores da saúde. Depois, será a vez dos idosos e dos professores Serão distribuídas 80 milhões de doses da vacina influenza trivalente, produzida pelo Instituto Butantan, para a imunização do público-alvo.

Em 2020, a ação chegou superar a meta de 90% do público-alvo, atingindo 95,7% do grupo prioritário. Segundo a pasta, a imunização contra a gripe vai prevenir o surgimento de complicações decorrentes da doença, óbitos, internações e a sobrecarga nos serviços de saúde, além de reduzir os sintomas que podem ser confundidos com os da Covid-19.

Grupos prioritários

No Brasil, outros grupos também serão contemplados na campanha deste ano. Fazem parte do grupo prioritário, segundo o Ministério da Saúde:

• Crianças entre 6 meses e 6 anos de idade

• Gestantes e puérperas

• Povos indígenas

• Trabalhadores da saúde

• Idosos com 60 anos ou mais

• Professores das escolas públicas e privadas

• Pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais

• Pessoas com deficiência permanente

• Forças de segurança e salvamento

• Forças Armadas

• Caminhoneiros

• Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso

• Trabalhadores portuários

• Funcionários do sistema prisional

• Adolescentes e jovens entre 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas

• População privada de liberdade

3 etapas de vacinação

A campanha nacional de imunização contra a gripe será distribuída em três etapas, de forma escalonada:

1ª etapa — de 12 de abril a 10 de maio: crianças, gestantes, puérperas, povos indígenas e trabalhadores da saúde (25,2 milhões de pessoas)

2ª etapa — de 11 de maio a 8 de junho: idosos e professores (32,8 milhões de pessoas)

3ª etapa — de 9 de junho a 9 de julho: demais grupos prioritários (21,7 milhões de pessoas)





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM