Rádio Rural AM 840

NOTÍCIAS


Economia

​Queda nos repasses da compensação da UHI supera os 50%

Prefeituras da região recebem menos recursos pela geração de energia.

Por Marcos Feijó
26/04/2021 às 08h21 | Atualizada em 26/04/2021 - 15h58


A Usina Hidrelétrica de Itá repassou nos três primeiros meses de 2021 o total de R$ 1.946.400,54 para os dez municípios atingidos pelo reservatório do empreendimento. O valor é 55,2% menor que o registrado no mesmo período em 2020, quando a empresa pagou R$ 4.345.873,34 pela utilização das águas do rio Uruguai.

No total, são R$ 2.399.472,80 a menos nos cofres públicos. Conforme dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), também houve a redução no volume de energia elétrica gerada pela UHE de Itá, passando de 1.591.598,28 megawatts/hora no primeiro trimestre de 2020 para 698.450,24 em 2021.

A compensação financeira é feita em função da utilização de recursos hídricos para fins de geração de energia elétrica. As cidades lindeiras são as maiores beneficiárias do repasse, pois recebem mensalmente da Usina Hidrelétrica Itá um valor que contribui para o seu desenvolvimento.

Do montante total gerado pelo empreendimento, 7% do valor total da energia produzida, multiplicados pela Tarifa Atualizada de Referência (TAR), que tem como base a venda de energia às distribuidoras – excluídos os encargos setoriais vinculados à geração, tributos e empréstimos compulsórios e os custos de transmissão – são atribuídos a municípios, estados e Governo Federal. As localidades lindeiras ficam com 45% do montante a ser distribuído, os estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina com outros 45% e o restante vai para a União.

Concórdia é o município que recebe a maior fatia dos recursos pagos pela Hidrelétrica de Itá. Nestes primeiros três meses de 2021 o montante foi de R$ 562.301,20. Na sequência, aparecem Aratiba, com R$ 411.176,42, e Mariano Moro, com R$ 251.564,92. A cidade que recebe o menor valor é Peritiba, com R$ 305,08.

Esses valores são repassados em dois pagamentos mensais e contribuem para o desenvolvimento econômico da região.


 

Fonte: FOLHA SETE/TATIANE GIOMBELLI





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM