Rádio Rural

NOTÍCIAS


Estiagem

​Estiagem castiga produtores rurais de Ipumirim

Prefeitura oferece suporte para as propriedades.

Por Lucas Villiger
30/04/2021 às 09h17


A estiagem que já perdura por quase dois anos na região continua castigando os produtores rurais. Perdas consideráveis são relatadas durante esse período. Além de lidar com a falta de chuva, o produtor também tem preocupações com as pragas, principalmente a cigarrinha, que comprometeu as safras de milho, fazendo o preço desses insumos subir consideravelmente.

O prefeito de Ipumirim, Hilario Reffatti, comenta sobre as ações da prefeitura que visam auxiliar os produtores nesse período de dificuldades. “O Poder Público de Ipumirim, na medida do possível, está auxiliando nossos agricultores que têm necessidade de água, com transporte de água diariamente, com caminhão de 10 mil litros e também com tratores agrícolas que foram adaptados para transportar água para consumo animal”, explica. “Para consumo humano, estamos usando uma caixa de 10 mil litros, que também estamos levando para algumas propriedades que tem necessidade de consumo”, completa Hilario.

Hilario também comenta que por enquanto não há racionamento de água no município. “No momento, na área urbana, nós não estamos tendo racionamento por parte da Casan, mas a empresa está solicitando a todos a economia d’água, evitando lavagem de carros e calçadas, evitando o desperdício ao máximo”, disserta. “Estamos também vendo a possibilidade de perfurar um poço profundo e aproveitar também um outro poço que está perfurado para atender as famílias que vivem em bairros que hoje estão com dificuldade de água”, finaliza o prefeito.

O produtor rural vem enfrentando com coragem e fazendo o possível para não ter que se desfazer dos seus animais, em função da falta de água e da alta no preço dos insumos. Enquanto isso, a administração municipal faz o possível para tentar minimizar a falta de água, seja no contrato de caminhão-tanque, como também com a abertura de poços no interior.





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM