Rádio Rural

NOTÍCIAS


Saúde

​Concórdia já tem mais de 40 casos de dengue e quase 1,3 mil focos

Município é o sétimo com mais focos em SC.

Por Luan de Bortoli
22/06/2021 às 06h13


Mesmo que desacelerado, o número de focos do mosquito Aedes aegypti, que transmite doenças como a dengue, chikungunya e zika vírus, permanece em alta em Concórdia, o que deixa o município entre as cidades catarinenses com mais vetores. Até esta segunda-feira, dia 21, eram 1.288 focos, conforme o Programa de Combate à Dengue do município. 

De acordo com os dados disponibilizados pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive), Concórdia era a sétima cidade com mais vetores no Estado. No mês de junho, a quantidade localizada no município foi bem baixa, de cerca de 12 focos até o último fim de semana. Assim, este é o mês com menor número de vetores em 2021.

Junho, até agora, registrou dois casos confirmados de pacientes infectados com dengue. Com isso, o número total de pessoas contaminadas é de 41, que é um recorde histórico para Concórdia. Além disso, há quatro pacientes suspeitos que estão em investigação. Em relação às outras doenças transmitidas pelo mosquito, Concórdia ainda não tem registros. 

Entre estes 41 pacientes, estão 24 homens e 17 mulheres. Quase todos os casos são autóctones, ou seja, contraídos dentro de Concórdia. Apenas três pacientes contraíram a doença em outras cidades. No ano passado, o município havia registrado até junho quatro casos confirmados da doença. Todos os casos, até agora, são considerados leves. 

Os pacientes estão em bairros como Natureza, Poente do Sol, Fragosos, Jardim Ângela, Nazaré, Industriários, Frei Lency, Centro, Bussolaro, Imperial, Gruta, Salete, Floresta, Portinari, Santa Cruz, Imigrantes, Petrópolis, Colibri, Catarina Fontana e Linha Pinhal.

Concórdia está em alerta desde o início do ano para a possibilidade de ocorrência de uma epidemia de dengue pela grande quantidade de focos presentes, conforme a equipe da vigilância epidemiológica. Concórdia é considerada infestada pelo mosquito desde 2019 e, pelo menos, 11 bairros também estão com essa classificação.





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM