Rádio Rural

NOTÍCIAS


Saúde

​Concórdia passa dos 50% de imunizados na Campanha de Vacinação contra a Influenza

Imunização está na reta final e termina daqui a duas semanas.

Por Luan de Bortoli
23/06/2021 às 06h15 | Atualizada em 24/06/2021 - 06h10


A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza H1N1 está na reta final e termina daqui a duas semanas. Em nível nacional, a média da cobertura vacinal está bem abaixo do esperado, o que preocupa autoridades. Já em Concórdia, mesmo longe do ideal, o percentual é maior e já passou dos 50% de pessoas imunizadas.

De acordo com os dados disponibilizados pelo Painel da Influenza, serviço do Ministério da Saúde sobre o andamento da vacinação da gripe, Concórdia chegou a 50,5% de sua população do público-alvo imunizada, o que equivale a 14.298 doses aplicadas de um total de pouco mais de 27 mil pessoas que fazem parte dos grupos prioritários no município.

Esse percentual alcançado por Concórdia está bem acima das médias estadual, regional e nacional. Em SC, a cobertura vacinal está em 38,9%, no sul do país em 39,8%, enquanto que no Brasil, o percentual é de 35,3%, aponta o Painel da Influenza. Faltando pouco mais de 15 dias para a conclusão, essa baixa procura preocupa o setor de saúde.

A vacina da influenza é importante porque no inverno aumenta a ocorrência de doenças respiratórias causadas por vírus que têm alta circulação nesta época do ano. Mas neste ano ela se torna ainda mais fundamental por conta da pandemia da covid-19, pois são duas doenças que acabam aumentando a procura por atendimento na rede de saúde, que pode não comportar tantos pacientes.

Em Concórdia, a imunização contra gripe é realizada nos Postos de Saúde dos bairros onde há sala de vacinação. A campanha em todo o país começou em 12 de abril e vai até o dia 9 de julho. O público-alvo é estimado em 79,7 milhões de brasileiros, e a meta do Ministério da Saúde é vacinar pelo menos 90% dos grupos prioritários.

São alvo da campanha as pessoas com comorbidades ou deficiências permanentes, caminhoneiros, trabalhadores do sistema rodoviário e portuário, forças de segurança e das Forças Armadas, funcionários do sistema prisional, população privada de liberdade e jovens de 12 a 21 anos que estão sob medidas socioeducativas. Ainda podem ser vacinadas crianças de seis meses até seis anos, gestantes, puérperas, trabalhadores da saúde, idosos e professores.





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM