Rádio Rural

NOTÍCIAS


Saúde

​Concórdia termina 1º semestre de 2021 com aumento de 925% no nº de casos de dengue

Número de focos dos mosquito quase dobrou no período.

Por Luan de Bortoli
06/07/2021 às 06h16 | Atualizada em 06/07/2021 - 17h48


O ano de 2021 está sendo de recordes nos números relacionados ao mosquito Aedes aegypti, que transmite doenças como a dengue, chikungunya e zika vírus, em Concórdia. No primeiro semestre, o município atingiu números inéditos e viu registrar uma alta de 925% na quantidade de pessoas confirmadas com dengue nos primeiros seis meses do ano.

Conforme a equipe do Programa de Combate à Dengue de Concórdia, o município possui um total de 41 casos da doença, contra apenas quatro pacientes infectados no mesmo período do ano passado. Em relação às outras doenças transmitidas pelo mosquito, Concórdia ainda não tem registros. Entre estes 41 pacientes, estão 24 homens e 17 mulheres.

Quase todos os casos são autóctones, ou seja, contraídos dentro de Concórdia. Apenas três pacientes contraíram a doença em outras cidades. Todos os casos, até agora, são considerados leves. Os pacientes estão em bairros como Natureza, Poente do Sol, Fragosos, Jardim Ângela, Nazaré, Industriários, Frei Lency, Centro, Bussolaro, Imperial, Salete, Floresta, Portinari, Santa Cruz, Imigrantes, Petrópolis, Catarina Fontana e Linha Pinhal.

Esse aumento de casos diagnosticados em Concórdia é reflexo do aumento do número de focos do Aedes aegypti. O município terminou junho com um total de 1.298 focos, conforme informou a coordenadora do programa de Combate à Dengue, Mara Sampaio. É um aumento de 72% em relação ao mesmo período do ano passado. Somente em junho, foram 24, a menor quantidade do ano.

Concórdia está em alerta desde o início do ano para a possibilidade de ocorrência de uma epidemia de dengue pela grande quantidade de focos presentes, conforme a equipe da vigilância epidemiológica. Concórdia é considerada infestada pelo mosquito desde 2019 e, pelo menos, 11 bairros também estão com essa classificação.





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM