Rádio Rural

NOTÍCIAS


Saúde

Em Concórdia, secretário de saúde de SC recebe cobranças sobre extrateto da covid-19

André Motta Ribeiro também visitou o Hospital São Francisco.

Por Luan de Bortoli
08/07/2021 às 06h04 | Atualizada em 08/07/2021 - 07h39


Em uma agenda por diversos municípios e hospitais de Santa Catarina, o secretário de estado da saúde, André Motta Ribeiro, visitou Concórdia nesta quarta-feira, dia 07. Na oportunidade, ele cumpriu compromissos na prefeitura e também no Hospital São Francisco.

O primeiro foi na administração municipal. Na oportunidade, ele se reuniu com o prefeito Rogério Pacheco, vice, Edilsson Massoco, e outras autoridades presentes. No encontro, entre outros assuntos, Motta ouviu de Pacheco uma cobrança para um repasse do extrateto no combate à covid-19.

Conforme a prefeitura, entre ano passado e este ano, Concórdia repassou um valor de R$ 7 milhões acima do teto para a saúde. O impasse é que Concórdia acaba arcando com gastos cujo pacientes de outras cidades também usufruem. Para Pacheco, é preciso que o município seja ressarcido.

"Ele foi compreensível com isso. Falamos que haja uma análise para fazer um aporte para diminuir esse custeio, esses recursos que Concórdia, por ser polo, tem que repassar e são recursos de Concórdia. Então que haja um ressarcimento de no mínimo 50% do valor, para poder compensar esses investimentos. Isso estamos enfrentamos uma pandemia. O governo do Estado tem sido atencioso. Queremos um retorno o quanto antes, porque vamos precisar ainda mais para concluir esse processo de enfrentamento da pandemia".

O secretário de saúde concedeu entrevista à imprensa no fim do encontro, e explicou que o primeiro objetivo dele é tomar conhecimento das ações realizadas pelas prefeituras e hospitais e depois tomar decisões em relação a medidas como esta da cobrança do extrateto. Ele se mostrou solícito ao pedido de Pacheco.

"Temos obrigação de tentar entender as necessidades e compreender responsabilidade dentro do sistema do SUS e onde podemos ajudar. Entender o que mais a gente pode fazer. A questão do extrateto é antiga. O Estado tem trazido recursos. Precisamos agora tentar trazer uma certa equidade em certas questões. Quando se fala em extrateto, se fala em custos maiores. Então, precisamos olhar para as gestões internas dos hospitais e municípios. Não é só ofertar mais recursos, é utilizar de forma correta e transparente", disse ele.

Na sequência, ele vistiou o Hospital São Francisco. Por volta das 17h30, acompanhado de assessores e do deputado estadual Moacir Sopelsa, além do diretor do Hospital São Francisco, Claudemir Andrighi, ele conheceu a obra de expansão da unidade de saúde e participou de uma reunião fechada na sequência.






SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM