NOTÍCIAS



Educação

Aulas da rede estadual devem voltar a ser presenciais, mas sistema híbrido continua


Rede municipal de ensino ainda discute e define detalhes para a possível mudança.

Por Luan de Bortoli
25/08/2021 às 06h14 | Atualizada em 25/08/2021 - 19h29
Compartilhar


Deve começar na próxima semana o processo de retomada das aulas presenciais nas escolas que pertencem à rede estadual de ensino em Concórdia, conforme informou a supervisora da Coordenadoria Regional de Educação (CRE), Keila Sabadin Presotto. Desde o ano passado, os estudantes têm a possibilidade de permanecer tendo aula de forma online, sem ir às escolas de origem.

Na prática, isso quer dizer apenas que não haverá mais autorização para que pais ou responsáveis escolham deixar as crianças no sistema 100% remoto. Com a nova orientação do Estado, aqueles alunos que ainda podiam optar por continuar sem ir à aula presencial no sistema híbrido deverão se adaptar ao modelo adotado desde 2020 por conta da pandemia.

De acordo com Keila, o Estado deve publicar a portaria com a mudança do regramento do ensino presencial e remoto nos próximos dias. Com isso, na sequência, as escolas comunicarão oficialmente os pais e responsáveis da mudança, que deverá ter início em setembro. Na primeira quinzena do mês, a partir do dia 1º, será com os menores, e na segunda quinzena, com os alunos maiores.

“Com esse novo decreto, o distanciamento passa a vigorar diferente para as escolas estaduais. Temos que respeitar o distanciamento de 1,3 m² por aluno, e 2 m² para professor. Acreditamos que algumas turmas terão que continuar no tempo casa, tempo escola. Quem volta são os alunos que não são grupo risco. A orientação é que eles retornem de maneira tranquila, para que possamos recuperar algumas situações. Tivemos muitos alunos que não tivemos mais contato e precisamos que retornem às escolas. E os professores do grupo de risco também irão voltar”.

O sistema híbrido, portanto, vai continuar. Ou seja, turmas que são grandes e não conseguem ser acomodadas conforme as determinações sanitárias dentro da sala de aula deverão seguir sendo divididas em grupos. Em uma semana, uma parte tem aula na escola e na seguinte, de forma online. A decisão, porém, não atinge crianças com comorbidades e com atestado. Estas poderão optar por continuar respondendo à escola polo, como já ocorre.

Keila reforça que as escolas são um ambiente seguro e que as demais medidas continuarão sendo aplicadas. “É de suma importância que os pais entendem que as escolas são locais protegidos. Que estão seguindo todos os regramentos sanitários. Não tivemos dificuldades e casos de surtos. Vamos continuar usando máscaras, álcool em gel e mantendo o distanciamento”, destaca ela.

Embora ainda não tenha informações oficiais, é possível que esta mudança também atinja as escolas da rede municipal de ensino de SC. Em Concórdia, é possível que em algumas semanas o retorno no mesmo molde do Estado seja adotado. A prefeitura informou à reportagem da emissora que o tema ainda é discutido e passa por definições. Quando tudo for acertado, os responsáveis serão devidamente informados.




SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM