Rádio Rural

NOTÍCIAS


Análise

​LAERCIO GRIGOLLO: "FELICIDADE NA MEDIDA..."

Por Redação
26/03/2022 às 06h43 | Atualizada em 27/03/2022 - 08h01


Para atestar o desenvolvimento de um país, frequentemente são mensurados os indicadores, Produto Interno Bruto conhecido como PIB e o Índice de Desenvolvimento Humano divulgado como IDH. O desenvolvimento do Brasil  é mensurado pelo PIB que analisa o nível das atividades econômicas e riquezas, quantifica a atividade econômica através de cálculos de oferta e demanda de bens e serviços.

Por isso, o PIB é um termômetro da economia como um todo. O Brasil encontra-se na posição 79ª do ranking mundial se considerado o PIB per capita  de US$ 14,1. Na América do Sul, nosso PIB per capita é menor do que o de quatro vizinhos: Chile, com US$ 22,7 mil, Uruguai, com US$ 22,5 mil, Argentina, na marca de US$ 18,9 mil e Venezuela, com US$ 16,7 mil.

O desenvolvimento do Brasil também é medido pelo IDH, que analisa seus aspectos econômicos e sociais como a qualidade de vida, renda e escolarização. Esse indicador possibilita comparação a um parâmetro global de desenvolvimento social. O Brasil é a 82ª posição com a nota 0,765. Na América do Sul, nosso IDH é menor do que o de cinco vizinhos:  Chile, 0,851,  Argentina com  0,845, o Uruguai, com 0,817, o Peru  com 0,777 e a Colômbia com 0,767. 

Isso, caro leitor, é o que se faz com frequência, utilizar os dois rankings para capitalizar recursos, investimentos de capital interno ou capital estrangeiro. Porém, quando se fala em prosperidade de um país, faz-se necessário utilizar obrigatoriamente mais dois indicadores, hoje de fundamental importância na concretização de um desenvolvimento com progresso e prosperidade. Primeiro a Expectativa de Vida de sua população, onde o Brasil aparece classificado em 76º no ranking mundial com a média de 75,8 anos. Dentre os países sul americanos a expectativa de vida do brasileiro é menor do que a de seis vizinhos; o Chile com 80,2 anos, o Uruguai com 77,9, Colômbia com 77,3, o Equador com 77,0 e Peru e Argentina empatados com 76,7 anos de vida.

E ainda tem um indicador muito valorizado nos países desenvolvidos, especialmente nestes tempos de crises e conflitos, que é a FIB, sigla da Felicidade Interna Bruta. Sim, Felicidade!!!  Muitas nações valorizam esse indicador devido à evolução da qualidade de vida de seus habitantes. Essas nações entenderam com o tempo que o bem estar da população só contribui positivamente. Pesquisas mostram que pessoas felizes são mais produtivas no trabalho, possuem sistema imunológico mais forte, são mais resistentes ao estresse e se relacionam nos diversos ambientes com mais qualidade.   

O conceito FIB de 1972 elaborado pelo reino do Butão, com o apoio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, atraiu a atenção do resto do mundo com sua nova fórmula de medir o progresso de uma nação, nove áreas são consideradas,o  padrão de vida, saúde, bem-estar mental, educação, distribuição do tempo, boa governança, sentimento comunitário, diversidade ecológica e cultural e conforme o World Happiness Report, o país mais feliz do mundo é a Finlândia pelo quinto ano consecutivo. A Dinamarca é a segunda, a Islândia é a terceira, a Suíça, a quarta e a Holanda é a quinta. Já no extremo de baixo da lista desse ranking estão os países Africanos, onde perduram os conflitos motivados por diferenças étnicas e guerra civil: Ruanda, Mali, Senegal, Burundi, Libéria, Congo e Somália, além de Botsuana e Zimbabue. O Líbano é o penúltimo colocado e o Afeganistão o último do ranking, o país mais triste ou com menos felicidade no planeta.

O Brasil nesse indicador encontra-se na 34ª posição, até nem tão ruim assim, atrás do vizinho Uruguai 31º e a frente dos demais, porém não valoriza e muito menos capitaliza o indicador no mesmo contexto como faz com o PIB por exemplo. A Finlândia, como o país mais feliz do planeta, além das baixas taxas de criminalidade e um belo ambiente natural, possui como característica desenvolvida um forte senso de comunidade e cooperação. Acredita-se que esse comportamento da população foi construído entre outros fatores com o país Finlândia sendo uma nação feliz.  

LAERCIO GRIGOLLO   
CONSULTORIA EMPRESARIAL GRIGOLLO CONSULTING





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM